Publicidade

Nova função

Testamos os games da Netflix e mostramos como assinantes podem jogar

Cinco jogos bem diferentes entre si

Publicado por Guilherme Coral

08/11/2021 18:00

A Netflix lançou a seção de games dentro da plataforma de streaming e já testamos cada um deles, trazendo um breve olhar sobre os jogos mobile. Ao todo são cinco: Shooting Hops, Teeter, Card Blast, Stranger Things: 1984 e Stranger Things 3: The Game.

Antes, no entanto, vamos entrar em como exatamente os assinantes da Netflix podem jogar esses games. Há duas formas.

A primeira e “oficial”: basta acessar o app no celular, clicar em Netflix Games na página inicial, escolher o jogo que quer jogar, baixar o game e jogar por meio do app da Netflix.

Infelizmente, nem todos já estão com a seção de games no app da Netflix. Felizmente, há uma solução para isso:

Basta pesquisar ‘Netflix’ na Play Store (loja de aplicativos do Android). Em seguida clique em Netflix Inc. para ser levado a todos os apps do desenvolvedor. Lá os jogos aparecerão e podem ser baixados gratuitamente.

Ao acessar os jogos, eles pedirão para que escolha um dos usuários da Netflix da conta que estiver conectada no aplicativo principal da plataforma.

A partir de 10 de novembro de 2021 os jogos também estarão disponíveis nos dispositivo iOS. O processo para jogá-los é o mesmo.

Vamos aos games em si agora.

Shooting Hops

Desenvolvido pela Frosty Pop, Shooting Hops é um game extremamente simples. Ao todo são dois modos de jogo, ambos com o principal objetivo de fazer a bola de basquete entrar na cesta. Mas não é tão simples quanto simplesmente arremessá-la, como no basquete normal.

O primeiro modo é o blast mode. Nesse há uma arma de cápsulas presa à bola e toda vez que clicamos na tela, ela dispara uma cápsula, que faz a bola ir na direção oposta do cano da arma. Como ela gira constantemente, o jogador precisa apertar o botão na hora precisa para conseguir fazer cesta.

Já o target mode coloca um circulo no meio da tela, que pode ser movimentado tocando a tela e arrastando. O objetivo é fazer a bola quicar nesse círculo (em formato de mira, justificando o nome do modo) até conseguir fazer cesta.

Teeter

Teeter, também da Frosty Pop, é um exercício de paciência. Há apenas um modo, em que o jogador precisa fazer a bola entrar no buraco, como no golfe ou sinuca. Mas não é tão simples quanto parece e definitivamente requer calma por parte do jogador.

A bola é apoiada por cima de uma barra, que pode ser levantada pressionando um dos lados da tela do celular. A extremidade da barra correspondente ao lado apertado é levantada, fazendo com que a bola corra para o lado oposto. Dessa forma, é preciso levantar os lados lentamente para que o ponto seja feito.

Obviamente, tudo vai se complicando com o tempo, mas, assim como Shooting Hops, Teeter é perfeito para passar um tempo e afastar o tédio ocasionalmente.

Card Blast

Da Rogue Games, Card Blast segue o modelo de Candy Crush Saga e incontáveis outros games mobile, em que há diversas fases em um tabuleiro, com cada uma tornando-se mais difícil que a anterior.

O objetivo do game é fazer mãos de pôquer (dupla, duas duplas, trinca, sequência, etc). Quem nunca jogou pôquer, ou não se lembra, não é preciso se preocupar, visto que o jogo conta com um botão de ajuda com as mãos possíveis do jogo de cartas.

A cada mão completada, o jogador faz pontos, que acumulam-se até chegarmos à pontuação necessária para passar de fase. A dificuldade vem da forma como as cartas aparecem: elas correm na parte debaixo da tela, da direita para a esquerda, com uma serra que destrói as cartas na esquerda. Portanto, é preciso agilidade por parte do jogador para fazer os combos.

Stranger Things: 1984

Chegamos ao primeiro game com mais conteúdo, que foge um pouco da diversão mais casual dos três anteriores. Stranger Things: 1984 (previamente chamado de Stranger Things: The Game) traz uma jogabilidade mais rebuscada, com similaridades a diversos outros clássicos como The Legend of Zelda.

Nele, começamos como o policial Hopper e devemos encontrar as crianças desaparecidas em Hawkins. Com isso, gradualmente conseguimos novos personagens jogáveis, com habilidades diferentes, que permitem acessar novas áreas, como no já citado game da Nintendo, ou em metroidvanias.

A câmera é isométrica (vista de cima), tais quais diversos The Legend of Zelda ou Diablo. A forma de jogar é bastante simples, basta clicar na tela para se movimentar, atacar ou interagir com outros elementos. Há também a presença de diversos puzzles a serem completados ao longo da história.

Fãs da série da Netflix certamente vão se divertir com esse game, que conta com relativamente bastante conteúdo (por volta de 6 horas para terminar).

Stranger Things 3: The Game

O mais recente game baseado na série da Netflix é consideravelmente diferente do antecessor e inspira-se mais em rpgs de ação (Diablo sendo um dos mais evidentes) e beat-em-ups.

Dessa vez, o game recria a terceira temporada, como o título indica, mas de forma bem mais superficial. É, portanto, recomendável que a série seja assistida antes. Em essência, funciona como um resumão do terceiro ano, mas com muito mais ação, tendo em vista que enfrentamos inimigos contantemente.

Assim como no game anterior, podemos desbloquear personagens famosos da série, que podem ser controlados e alternados na equipe formada por dois personagens. Cada um deles conta com habilidades únicas e no combate isso é essencial, já que permite que escolhamos aquele mais similar ao estilo de cada um.

Stranger Things 3: The Game também tem uma arte bem diferente de 1984, com um pouco mais de detalhamento e personagens não tão “chibi” quanto o anterior. Infelizmente, com o tempo, ele se torna um tanto repetitivo, embora possa agradar quem é muito fã da série.

Publicidade