Escolher e escrever o final de uma história que você está contando por anos a fio sem dúvida é uma tarefa difícil e  que causa muito nervosismo – mas algumas vezes esse nervosismo leva a erros tão grosseiros que é impossível de relevar.

10 séries que decaíram em qualidade após serem abandonadas pelos criadores

Confira séries ótimas que estragaram tudo na última temporada:


HOUSE | O médico interpretado por Hugh Laurie seguiu obstinadamente divertido e intenso por sete temporadas, mas tropeçou feio na oitava, que viria a ser a última. Com 22 episódios e muitas tramas supérfluas, a temporada final ainda acabou com uma nota irônica fora de lugar e deu um final indigno para personagens complexos e interessantes.

How I Met Your Mother

HOW I MET YOUR  MOTHER | Você sabia que essa série estaria na lista. Após oito temporadas nos instigando sobre o mistério central, a sitcom entregou um nono ano com um final para lá de polêmico e anticlimático, finalizando uma jornada de nada menos que 208 episódios da forma mais decepcionante possível

DEXTER | Após excelentes temporadas iniciais, Dexter começou a decair da metade para a frente, mas nada nos prepararia para a oitava temporada, uma mistura mal costurada de tramas sem sentido e moralidade confusa, que terminou com um dos finales mais universalmente odiados pelos fãs.

TRUE BLOOD | Outra série que foi perdendo o pique com o passar das temporadas, mas encontrou o fundo do poço em sua última, a sétima. Após 81 episódios acompanhando a convoluta, mas sempre divertida, jornada dos vampiros e outras criaturas, True Blood terminou com episódios curiosamente piegas e pouco característicos da série que os precedeu.

Scrubs

SCRUBS | A comédia teve um final bem bacana com a oitava temporada, que fechou a maioria das histórias e deu um adeus digno aos personagens… até o momento em que decidiram fazer uma nona. Oficialmente intitulada Scubs: Interns, a série se focava em um grupo diferente de personagens, com os antigos fazendo apenas participações especiais. Basta dizer que não funcionou.

Roseanne

ROSEANNE | Essa lendária sitcom sobre uma família de classe trabalhadora apostou em uma trama curiosa para sua nona e última temporada: a família de Roseanne ganhou US$ 100 milhões na loteria! As tramas bizarras não se conectaram com o público, e no capítulo final a série quis consertar tudo dizendo que era um sonho de Roseanne – não colou!

Mistresses

MISTRESSES | Não que a série da ABC já tenha sido uma obra-prima, mas sua sensibilidade novelesca rendia bons momentos nas três primeiras temporadas. Quando chegou a hora de “fechar a conta” na quarta, no entanto, o criador K.J. Steinberg insistiu em um formato aberto com um final absurdamente bizarro e as tramas mais implausíveis da série.

THE FALL | A terceira e última temporada desse excepcional drama policial tem suas virtudes, mas comparada às duas anteriores, que são simplesmente magistrais, elas empalidecem. The Fall terminou com sua coleção de episódios mais fraca, narrativa e psicologicamente. Ainda vale a pena ver por Gillian Anderson e Jamie Dornan, no entanto.

TORCHWOOD | Esse spin-off de Doctor Who soltou duas temporadas longas de respeito antes de criar uma história contida e tocante, em menos episódios a título de terceira temporada – foi ao viajar para os EUA com a ajuda da emissora Starz que Torchwood se perdeu, infelizmente criando uma história pouco carismática para seu quarto ano de vida, que viria a ser o último. E a série ainda acaba em cliffhanger!

Alicia e Jason em The Good Wife

THE GOOD WIFE | A maioria dos fãs concorda: The Good Wife foi inteligente e classuda até seu último pacote de episódios, a sétima temporada, que terminou em uma cena polêmica que pouco fazia para fechar os arcos das personagens principais. Uma pena, pois por 156 episódios, a série foi uma das mais confiavelmente incríveis da TV americana.