19 anos de Família Soprano: 10 segredos bizarros sobre a série

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como uma boa série sobre máfia, a produção de Família Soprano foi cheia de bizarrices e até alguns segredos sinistros.

Estreando em 10 de janeiro de 1999, a série da HBO começou uma nova era de qualidade e valores de produção na TV, se estendendo por 86 episódios até 2007.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bar de strippers de Família Soprano vai fechar em meio a investigações criminais

Hoje, comemoramos os 19 anos de Família Soprano com 10 curiosidades sobre a produção:

A LIVIA DE CGI | A atriz Nancy Merchand faleceu em 2000, antes de finalizar as filmagens da terceira temporada de Família Soprano, o que obrigou o showrunner David Chase a diminuir sua história durante os episódios – mas não o bastante para que a série não precisasse fazer algo bizarro e inovador: usar uma dublê de corpo e impor o rosto de Merchand nela!

A FICHA CRIMINAL DE PAULIE | Quem diria que o personagem Paulie Walnuts e o ator Tony Sirico teriam tanto em comum? Antes mesmo de entrar para o elenco de Família Soprano, Sirico tinha nada menos que 28 prisões em sua ficha criminal. Ele foi preso por roubo, assalto a mão armada, posse de arma ilegal e várias outras acusações, todas nos anos 1970.

NA BOCA DA MÁFIA | Curiosamente, até os mafiosos de verdade foram pegos na mania de Família Soprano após sua estreia, em 1999. O FBI gravou conversas da família DeCavalcante, de Nova Jersey (EUA), enquanto tentavam pegá-los no flagra em um grande crime – no entanto, só conseguiram ouvir os membros da família discutindo para saber se Família Soprano era mesmo baseada neles.

DIVÓRCIO AMARGO | Durante todo o decorrer da série, o astro James Gandolfini batalhou contra problemas de drogas e álcool. Em 2002, a esposa do ator não aguentou mais e pediu divórcio, inclusive acusando-o de infidelidade, ao que ele admitiu. Gandolfini faleceu em 2013, aos 51 anos.

TEMPERAMENTO DIFÍCIL | O criador David Chase também tinha seus problemas. Embora ele (ainda bem!) não tenha sido envolvido nas denúncias de assédio sexual que começaram no ano passado (pelo menos ainda não), Chase tem um temperamento famosamente difícil. Uma secretária contou que o roteirista frequentemente tratava os funcionários com rispidez e aos berros, além de dar “pitis” épicos quando algo dava errado, “chutando mesas e cadeiras no seu escritório”.

A.J. FOI PRESO | O ator Robert Iler tinha apenas 16 anos quando foi preso em Nova York (EUA) por tentar roubar uma casa com dois amigos da mesma idade. O ano era 2001, e ele já interpretava há dois anos o personagem A.J. Soprano, peça importante da série. Iler nunca admitiu culpa no crime, e acabou escapando de passar tempo na prisão ao concordar com um acordo com suas vítimas.

E PERRY TAMBÉM! | O confiável guarda costas de Tony na série, Perry, foi interpretado pelo ator Louis Gorss, que foi preso por um crime muito menos violento do que o seu personagem pode sugerir. Em 2013, ele foi pego usando notas de 100 dólares falsas – e não foi um simples engano, já que ele tinha uma maleta cheia delas e jogou tudo fora quando soube que a polícia estava atrás dele!

E MATTHEW TAMBÉM! | O caso mais grave de envolvimento em atividades criminosas no elenco, no entanto, vai para Lillo Brancato Jr, o jovem e promissor ator que estrelou a série no papel de Matthew Bevilaqua. Ele foi preso em 2005, quando participou de um assalto no qual seu comparsa acabou matando um policial – em 2009, foi condenado a 10 anos de prisão, dos quais cumpriu quatro. Em 2013, foi liberado por bom comportamento.

LARRY BOY ERA MESMO DA MÁFIA | O ator Tony Darrow não só interpretou o mafioso Larry Boy na série, como encarnou personagem similar em outro clássico do gênero,  o filme Os Bons Companheiros (1990). Vai ver ele gostou um pouco demais da coisa, porque em 2011 o ator foi preso por recorrer à família Gambino, com quem tinha “laços anteriores”, para “coletar uma dívida” e efetivamente dar uma surra no pobre devedor.

E TONY DESAPARECEU MISTERIOSAMENTE | Em 2002, após três anos como o mafioso Tony Soprano, o ator James Gandolfini sentiu que a pressão da fama era demais para suportar, e tirou “férias não agendadas”. Ele sumiu do mapa por quatro dias, atrasando a produção da série, e sem avisar ninguém – o pânico acabou quando ele ligou para os produtores e disse que estava pronto para retornar.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio