Maze Runner | 10 diferenças radicais entre os livros e os filmes da saga

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Maze Runner: A Cura Mortal chega aos cinemas brasileiros nessa quinta (25), finalizando uma bem sucedida trilogia cinematográfica baseada nos livros de James Dashner.

Maze Runner: A Cura Mortal | Diversos novos perigos surgem em vídeos do filme

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto,  essa trilogia, como qualquer adaptação literatura-cinema, Maze Runner chegou as telas bem modificado em relação ao original. Confira as 10 maiores diferenças:

AMNÉSIA | No livro, quando chega na Clareira, Thomas se lembra imediatamente do seu nome. Outros detalhes de sua vida começam a voltar aos poucos, é claro, mas a diferença é que no filme o personagem passa um tempo sem saber nem mesmo quem é – e assim o ritmo de suas lembranças é modificado.

W.C.K.D. | No Brasil, não tem erro: o grande vilão de Maze Runner é a empresa C.R.U.E.L. Mas, no original, a palavra W.I.C.K.E.D., equivalente na língua inglesa, foi abreviada para uma sigla menos óbvia, W.C.K.D. De uma forma ou de outra, a organização é cheia de vilões buscando usar nossos protagonistas para reconstruir um mundo pós-apocalíptico.

PODERES | Os protagonistas Teresa e Thomas tem um elo especial no livro, conseguindo se comunicar telepaticamente. Tais poderes sobrenaturais são completamente limados da adaptação para o cinema, fazendo com que nossos heróis sejam apenas jovens “comuns” em meio a um cenário complicado.

O SORO | No livro, os habitantes da Clareira tem a fórmula de um soro que ajuda quando alguém é picado por um dos monstros que vivem no Labirinto. Esse soro existe muito antes da chegada de Thomas por lá, mas no filme o antídoto é introduzido depois, quando Teresa chega à Clareira.

GALLY | O violãozinho Gally tem uma caracterização (e um final) diferentes no livro e no filme. No livro, ele já foi picado quando Thomas chega à Clareira, e o reconhece imediatamente – já no filme, ele é picado no final, quando tenta fugir. No livro, Gally atira uma faca em Thomas e Chuck acaba se jogando na sua frente – no filme, é uma arma de fogo. E por fim, apenas no filme Gally é morto por Minho com uma lança.

Dylan O’Brien em Maze Runner

EXCLUÍDO | No livro, Thomas tem uma relação muito mais difícil com os moradores da Clareira quando chega lá pela primeira vez – inclusive, ele costuma dormir separado do grupo, em um canto do labirinto. Enquanto isso, no filme, ele dorme com o restante dos humanos em uma tenda.

ALBY | No livro, o personagem não era tão gentil e pronto para oferecer ajuda ao nosso herói Thomas. Pelo contrário, Alby é descrito como “rude e hostil”, e não gosta de ter que explicar como as coisas funcionam para o protagonista. Fãs da saga teriam ficado mais revoltados com a mudança de Aml Ameen não tivesse a vendido tão bem.

Maze Runner: Correr ou Morrer (2014)

SOLO | No filme, vemos a Clareira como mais fiel ao seu nome – com solo de grama baixa, desaguando no labirinto que a cerca. No livro, a composição desse espaço pós-apocalíptico é diferente, com o escritor James Dashner sugerindo que todo o chão da Clareira é recoberto de pedra.

VILÃO | Em Prova de Fogo, o segundo filme da franquia, somos apresentados a Janson, conhecido como Homem-Rato, interpretado por Aidan Gillen (Game of Thrones). No longa, ele aparece em vários momentos perseguindo os heróis, um papel muito maior do que no livro, onde só dá as caras no começo para apresentar a nova missão a eles.

TRAIDORA | No segundo livro da saga, Teresa passa por um arco de personagem complicado ao se ver forçada a trabalhar para a C.R.U.E.L. e, por isso, acaba evitando contato telepático com Thomas. No filme, toda essa trama envolvendo a “traição” de Teresa é retirada da história.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio