Séries de super-heróis são exponencialmente mais propensas a polêmicas do que suas “irmãs” de outros gêneros, graças ao intenso escrutínio dos fãs, que ficam obcecados por cada detalhe da produção.

8 séries de super-heróis que só tiveram o primeiro episódio

Por isso, selecionamos 10 polêmicas de bastidores que quase acabaram com populares séries de super-heróis:


OS DUBLÊS DE GOTHAM | Não há nenhuma regra oficial que dita que dublês precisam ser da mesma etnia que os atores que “substituem”. No entanto, é uma questão de bom senso – e a Warner violou qualquer conceito de bom senso quando “pintou” dublês brancos para substituírem Jada Pinkett Smith em uma cena de ação. A polêmica quase fez a série ser cancelada.

OS COMERCIAIS DE BATMAN | A série clássica do Batman foi um dos maiores sucessos da TV dos anos 1960, e por isso a emissora ABC quis aumentar o número de comerciais – de três minutos em meio a meia hora de episódio para quatro minutos (hoje em dia, temos 8, 9 ou até 10 minutos de comerciais nessa faixa de tempo). O aumento não agradou uma afiliada em Baltimore (EUA), que começou uma campanha pelo boicote da série.

O PILOTO ORIGINAL DE MULHER-MARAVILHA | Você sabia que a versão com Lynda Carter não foi a primeira tentativa da TV americana de fazer Mulher-Maravilha? A jogadora de tênis Cathy Lee Crosby assumiu o papel primeiro, em uma versão sem poderes de Diana, baseada em uma série de HQs publicada entre 1968 e 1972. A versão não testou bem com o público, e foi abandonada.

Super-Herói Americano

O PROCESSO CONTRA SUPER-HERÓI AMERICANO | Essa série oitentista é uma das mais divertidas produções de super-heróis do século passado. No entanto, a história de um professor que se torna super-herói não caiu bem com a Warner (ela de novo!), que processou o criador Stephen J. Cannell por plágio – eles acharam o personagem parecido com o Superboy.

A HOMOFOBIA DOS POWER RANGERS | Enquanto na frente das câmeras os Power Rangers eram um grupo unido de heróis que constantemente salvavam a Alameda dos Anjos de monstros gigantes, nos bastidores o ator Billy Cranston, que interpretava o Ranger Azul, sofria inclementes provocações homofóbicas dos colegas.

O NOVO CAVALEIRO SOLITÁRIO | Em 1952, os produtores de O Cavaleiro Solitário enfrentaram a ira dos fãs quando demitiram o astro original da série, Clayton Moore, em meio a disputas pelo contrato. Eles substituíram o Cavaleiro Solitário original por John Hart, que ficou no ar por apenas uma temporada – atendendo ao clamor dos fãs, a emissora trouxe Moore de volta.

OS SALÁRIOS DE OS VINGADORES | Embora o único membro fixo do elenco por todos os oito anos de sucesso de Os Vingadores tenha sido Patrick Macnee como John Steed, o maior ícone cultural da série é provavelmente Emma Peel (Diana Rigg), que ficou no ar entre 1965 e 1968. O motivo da saída? Rigg descobriu que era paga menos que o cameraman da série!

MORTE EM O CORVO | O filme d’O Corvo, produzido em 1994, foi marcado pelo acidente que tirou a vida do astro Brandon Lee, filho de Bruce Lee. Quando a franquia foi ressuscitada em 1998 na TV, duraria só uma temporada por causa de uma coincidência macabra – Marc Akerstream, um dublê, morreu em um acidente bizarro.

O CRIADOR ODIAVA SERES DO AMANHÃ | Essa bem sucedida série dos anos 1970 sobre pessoas com poderes extraordinários era amada pelo público, mas odiada pelo criador, Roger Damon Price, que queria deixar a trama para escrever comédias. Como na época não era comum que showrunners deixassem as séries na metade, ele ficou, mas só mediante muita insistência da emissora.

Andrew Kreisberg

PRODUTOR DENUNCIADO NO ARROWVERSE | Em meio às denúncias de assédio sexual em Hollywood, o universo das séries da DC se viu abalado quando Andrew Kreisberg, um dos principais produtores do combo Arrow, Supergirl, The Flash e Legends of Tomorrow, foi um dos nomes “jogados na roda”. O escândalo foi encarado de frente pela emissora, que demitiu Kreisberg.