As séries amam um vilão redimido – o problema é que eles nem sempre (ou melhor, quase nunca) merecem essa redenção!

É divertido ser mau: 10 séries com vilões mais populares que mocinhos

Confira 10 vilões que deveriam ter continuado a sofrer por seus pecados – pelo menos mais um pouco:


SPIKE (Buffy) | Aparentemente, um vilão supostamente redimido ainda pode tentar estuprar a personagem principal da série e continuar com a simpatia do público. Spike é um dos personagens mais inesquecíveis de Buffy, mas olhar para sua jornada hoje em dia é descobrir que ele não merecia sua redenção.

SYLAR (Heroes) | Ele foi introduzido a nós como um serial killer, que matava heróis e chafurdava seus cérebros em busca da origem de seus poderes, absorvendo-os para si. Não é uma acusação qualquer, então quando o personagem se tornou popular os roteiristas tiveram que inventar as desculpas mais absurdas para transformá-lo em uma espécie de mocinho.

O Exterminador do universo Arrow/The Flash

EXTERMINADOR (Arrow) | Se Oliver amasse sua mãe tanto quanto Batman e Superman no filme de Zack Snyder, ele com certeza não pensaria em perdoar o vilão Exterminador. Afinal, o impiedoso personagem matou sua mãe, Moira Queen, a fim de se vingar do herói. Hoje em dia, eles se ajudam em missões.

KLAUS (The Vampire Diaries) | Ele matou a tia de Elena e presidiu um verdadeiro genocídio que custou a vida de incontáveis pessoas. Depois, se apaixonou por Caroline e se tornou um dos “bad boys” da série – será que dá para esquecer algo tão monstruoso tão fácil, apenas por amor?

Robert Knepper em Prison Break
Robert Knepper em Prison Break

T-BAG (Prison Break) | Não vamos fingir que T-Bag teve uma redenção completa, mas visto que ele era um estuprador de menores que estava preso por um bom motivo, e um dos seres humanos mais horríveis a já serem mostrados na ficção, não achamos que seus atos “heroicos” para ajudar os protagonistas caíram bem.

Battlestar Galactica

Nº 6 (Battlestar Galactica) | A história clássica da espiã traidora que se afeiçoa por aqueles que deveria estar prejudicando foi bem contada em Battlestar Galactica, com a Nº 6 se tornando uma das vilãs mais complexas e interessantes da TV. Só não colou muito sua decisão final de ficar do lado dos humanos…

Khal Drogo (Jason Mamoa) e Daenerys Targaryen (Emilia Clarke)

KHAL DROGO (Game of Thrones) | A inclusão dele pode ser polêmica aqui, mas Khal Drogo é, afinal, o homem que comprou uma noiva muito mais nova (no livro, menor de idade) e tirou sua virgindade contra a vontade dela. Não é que ele tenha recebido um arco de redenção ruim, é que a série não pareceu ver isso como algo que precisasse de redenção, e nos pediu para amá-lo mesmo assim.

LIONEL LUTHOR (Smallville) | Nessa série sobre os anos adolescentes do Superman, o futuro vilão Lex Luthor era, assim como Clark Kent, apenas um jovem rapaz começando a encontrar seu caminho na vida. Caiu sobre os ombros de seu pai, Lionel, ser o monstro manipulador da vez, mas a série pisou na bola ao tentar redimi-lo em seus últimos capítulos.

Michael Rooker como Merle Dixon em The Walking Dead

MERLE DIXON (The Walking Dead) | Se você acha que Três Anúncios Para Um Crime fez mau de tentar “redimir” (com muitas aspas) o policial racista de Sam Rockwell, você não deve ter assistido The Walking Dead… Merle Dixon, um dos personagens mais repudiáveis de toda a trama (e não é uma competição fácil) recebeu uma morte de herói.

Rumpelstiltskin em Once Upon a Time

RUMPLE (Once Upon a Time) | É curioso como a mesma série pode fazer uma boa história de redenção, com a Rainha Má de Lena Parrilla, e outra diametralmente oposta, como a do Rumplestiltskin de Robert Carlyle. O personagem passou por reviravoltas demais para ser crível.