Jessica Jones | 10 segredos da série da Marvel/Netflix

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com os 13 episódios da nova temporada de Jessica Jones já disponíveis na Netflix, você acha que sabe tudo da série mais girl power da Marvel? Bom, você pode estar errado…

Jessica Jones | Retorno de Kilgrave será “episódio mais sombrio da série”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Separamos 10 segredos da série para você:

Paul Rudd como o Homem-Formiga

UM NOVO INTERESSE ROMÂNTICO | Todo mundo sabe que a série mudou muitas coisas na adaptação dos quadrinhos para a TV, mas a Marvel ainda tem a chance de seguir um ponto da história de Jessica Jones nas HQs – seu romance com Scott Lang (Paul Rudd), o Homem-Formiga. Isso mesmo: em meio a uma separação de Luke Cage, Jones se engraçou com o diminuto herói.

Tom Holland como Homem-Aranha.

COLEGAS DE ESCOLA | A primeira temporada de Jessica Jones se baseou muito nos quadrinhos da saga Alias, que foram publicados entre 2001 e 2004 – mas ocultaram um detalhe. Nas HQs, conforme acompanhamos a infância e adolescência de Jones por flashbacks, descobrimos que ela foi colega de classe de ninguém menos que Peter Parker, o Homem-Aranha!

Luke e Jessica em Jessica Jones, 1ª temporada

ÓDIO DA DIREITA | A showrunner Melissa Rosenberg revelou em conversa com o THR que não foi a trama envolvendo aborto, feminismo e abuso sexual que incomodou os assinantes da extrema direita da Netflix – ao invés disso, foi o relacionamento inter-racial entre Jessica e Luke! “Eles postaram uma foto minha em um site nazista, com uma estrela de Davi na minha cara. Foi assustador”, disse.

Jessica Jones, 2ª temporada

POUCA MAQUIAGEM | Enquanto atores como Paul Bettany (Visão) e Karen Gillan (Nebula) passam horas na cadeira de maquiagem todos os dias para ficarem iguaizinhos aos personagens que interpretam nos filmes da Marvel, a estrela de Jessica Jones, Krysten Ritter, passa literalmente 15 minutos na mesma cadeira antes de filmar suas cenas. “Jessica não se importa com uma maquiagem elaborada. Precisamos ser fiéis à personagem”, disse uma das maquiadoras.

TENTATIVAS ANTERIORES | Você sabia que a Marvel já havia tentado duas vezes levar Jessica Jones para as telas antes da estreia da série da Netflix? Primeiro, ela apareceria na pele de Meagan Good (Minority Report, na foto) como coadjuvante no filme de Luke Cage planejado por John Singleton em 2003; depois, em 2010, na emissora aberta ABC, com a mesma showrunner, Melissa Rosenberg, à bordo.

Kilgrave

UM KILGRAVE DIFERENTE | O mundo sombrio das adaptações da Marvel para a Netflix exigiu que alguns elementos dos quadrinhos fossem mudados – por exemplo, a pele roxa de Kilgrave, o vilão controlador de mentes interpretado de forma aterrorizante por David Tennant na série. Os criadores decidiram (corretamente), e a pele roxa não cairia bem no tom da série.

UNIFORMES | Outro detalhe é que nunca vemos uma jovem Jessica Jones atuar sob o pseudônimo de Safira, com traje espalhafatoso e tudo o mais que se tem direito, antes de se tornar a detetive cínica que conhecemos na série. No entanto, um flashback mostra Trish incentivando Jessica a vestir um traje bem parecido…

Jeri Hograth, de Jessica Jones

MUDANÇA DE SEXO | Sabe a personagem Jeri Hogarth, interpretada pela incrível Carrie-Ann Moss na primeira temporada (e na vindoura segunda também)? Bom, nos quadrinhos temos um Jeryn Hogarth, cujo gênero foi mudado para a TV – quase nenhum outro detalhe foi modificado, no entanto, com Jeri ainda sendo uma advogada inescrupulosa e complicada.

PERSONAGEM PIONEIRA | Além de tudo isso, no entanto, Jeri também é a primeira personagem lésbica do universo Marvel inteiro – filmes e TV! Enquanto os longas não tem nenhum personagem LGBT confirmado e assumido, a TV já tinha o Joey de Agents of SHIELD antes da chegada da elegante e inesquecível Jeri.

Jessica Jones

QUASE RECUSOU | Krysten Ritter não estava exatamente com a carreira afundada quando o papel de Jessica Jones foi oferecido a ela – amada pelos fãs de Breaking Bad e por sua sitcom cult Apartment 23, Ritter quase recusou a proposta quando seu agente descreveu a série da pior forma possível: “Ele disse que ela era uma super-heroína que era muito ruim nisso. Aos meus ouvidos, parecia uma comédia pastelão”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio