Com o Oscar 2018 se aproximando nesse domingo (04), fica cada vez mais óbvio o quanto a lista da Academia é limitada, e deixou para trás muitos grandes filmes do ano passado.

Nem sempre eles acertam: 10 fracassos dos indicados ao Oscar 2018

Confira 10 ótimos longas que não conseguiram nenhuma indicação sequer:


Bingo: O Rei das Manhãs.

BINGO: O REI DAS MANHÃS | Após o fiasco da indicação de Pequeno Segredo sobre Aquarius no ano passado, o Brasil acertou na seleção com o excelente Bingo: O Rei das Manhãs, mas os votantes da Academia não compraram o filme de Daniel Rezende, e o país passou mais um ano (já são 20!) sem indicação a Melhor Filme Estrangeiro.

QUEM É JONBENET? | A barreira contra indicações da Netflix nas categorias principais não é tão forte em Melhor Documentário, onde esse ano duas produções da plataforma (Ícaro e Strong Island) conseguiram nomeações. No entanto, Quem é JonBenet? ficou fora da lista, e quem testemunhou o poder do filme de Kitty Green sabe que isso foi uma injustiça – o longa reexamina o caso da miss mirim JonBenet Ramsey, morta durante os anos 1990.

Riley Keough e Jena Malone em Lovesong

LOVESONG | Apesar de estrear originalmente no Festival de Sundance de 2016, esse longa supremamente sensível de So Yong Kim encontrou seu caminho para os cinemas comerciais americanos só em 2017, se qualificando para o Oscar 2018. Na pele de amigas de longa data que quase vivem um romance, Jena Malone e Riley Keough entregam duas das performances mais incríveis do ano.

MÃE! | Visto que o filme foi indicado a vários Fambroesa de Ouro (o “anti-Oscar”, para os piores do ano) e odiado pelo público, é claro que Mãe! não iria emplacar no Oscar. No entanto, o filme de Darren Aronofsky continua sendo uma das obras mais cinéticas, tensas e radicais do ano passado, não importa o que os haters digam.

SEM FÔLEGO | A força de Sem Fôlego caiu com as críticas mornas, mas mesmo que o filme como um todo não tenha agradado, o longa ainda merecia indicações técnicas – poucos trabalhos de fotografia, trilha-sonora ou design de produção/direção de arte foram mais vibrantes e refinados que ele.

Mulher-Maravilha

MULHER-MARAVILHA | A omissão que todo mundo sentiu quando a lista de indicados foi anunciada! Muitos achavam que Mulher-Maravilha era o primeiro filme de heróis com potencial para conseguir indicações nas categorias principais da premiação, mas nem nas técnicas (Melhor Figurino parecia aposta certa) ela foi lembrada.

I Don’t Feel at Home in This World Anymore

JÁ NÃO ME SINTO EM CASA NESSE MUNDO | Vencedor do Festival de Sundance desse ano, Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo é um filme excêntrico, mas alguns deles (pense em Pequena Miss Sunshine!) já entraram no Oscar antes. No entanto, essa doce história sobre dois vizinhos se unindo para recuperar os bens roubados de um deles ficou de fora da lista.

Emma Stone em A Guerra dos Sexos

A GUERRA DOS SEXOS | Por falar em Pequena Miss Sunshine, o filme A Guerra dos Sexos tem a “grife” de Jonathan Dayton & Valerie Faris, dupla que dirigiu aquele drama familiar. No entanto, a história do confronto entre Billie Jean King e Bobby Riggs nas quadras de tênis ficou de fora do gosto dos votantes da Academia.

Raw

GRAVE | A França optou pelo ótimo 120 Batimentos por Minuto (que também não foi lembrado) na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, mas Grave foi exibido nos cinemas americanos, o que o qualificaria para indicações mesmo assim. No entanto, esse terror feminista intenso, surpreendente e espetacularmente habilidoso não agradou aos votantes da Academia – uma pena!

Jogo Perigoso da Netflix com Carla Gugino.
Jogo Perigoso da Netflix com Carla Gugino.

JOGO PERIGOSO | Essa adaptação de Sephen King definitivamente não é o tipo de filme que a Academia gosta de premiar – mas se o magistral trabalho do diretor Mike Flanagan e da protagonista Carla Gugino não são reconhecidos, quem perde é o Oscar! Jogo Perigoso segue sendo uma das melhores e maiores surpresas do cinema em 2017.