Nessa quinta (31) chega aos cinemas brasileiros a animação Gnomeu e Julieta: O Mistério do Jardim, que adiciona Sherlock Homes à lista de personagens transformados em gnomos de jardim que popularam o filme de 2011.

10 continuações e remakes desnecessários que chegarão às telas em 2018

É aquele tipo de continuação que ninguém realmente pediu, mas Hollywood fez mesmo assim. Veja outros exemplos:


2010 – O ANO EM QUE FAREMOS CONTATO (1984) | Você com certeza se lembra de 2001: Uma Odisseia no Espaço (1969), um dos filmes de ficção científica mais celebrados da história. 15 anos depois, Hollywood resolveu que estava na hora de criar uma sequência que trocava Stanley Kubrick por Peter Hyams (Timecop) na direção. O resultado foi tão bom quanto poderia se esperar – ou seja, terrível.

INSTINTO SELVAGEM 2 (2006) | Lançado em 1992, Instinto Selvagem é um thriller erótico trash na melhor das tradições daquela época. 14 anos depois, é difícil dizer que alguém estava realmente ansioso para rever Sharon Stone no papel da escritora e possível assassina Catherine Tramell. O resultado? O filme arrecadou menos de US$ 40 milhões nas bilheterias, muito longe dos US$ 352 milhões do hit original.

OPERAÇÃO FRANÇA II (1975) | Em 1971, Operação França venceu os prêmios de Melhor Filme, Melhor Direção (William Friedkin), Melhor Ator (Gene Hackman), Melhor Roteiro Original e Melhor Edição no Oscar. Quatro anos depois, Hackman retornou para dar “um fechamento mais satisfatório” à perseguição policial do filme original – mais difícil do que achar o criminoso perseguido pelo Detetive Doyle, no entanto, é achar alguém que sequer se lembre da existência de Operação França II.

O FILHO DO MÁSKARA (2005) | O filme original de O Máskara tinha algumas coisas testemunhando ao seu favor: Jim Carrey em uma performance que ajudou a impulsionar sua carreira, a estreia de Cameron Diaz em tela, uma sensibilidade sombria para uma comédia mainstream. Nada disso foi transferido para a continuação, lançada 11 anos depois – e considerada um dos piores filmes de todos os tempos no IMDb.

DÉBI & LÓIDE 2 (2014) | O filme original, de 1994, é uma das mais deliciosamente estúpidas comédias de todos os tempos – então é claro que, 20 anos depois, os diretores convenceriam Jim Carrey e Jeff Daniels a voltarem para uma sequência que não poderia ser mais decepcionante nem se tentasse. Passe longe!

KING KONG 2 (1986) | A versão de 1976 da história do gorila gigante foi um enorme hit, de forma que Hollywood não se aguentou e “precisou” produzir uma continuação, mesmo que tenham esperado 10 anos para fazê-lo. Troque Jessica Lange por Linda Hamilton e adicione uma trama que começa com Kong em coma e introduz sua “namorada” gorila, e você tem um filme chocantemente terrível.

ZOOLANDER 2 (2016) | Continuando com sua mania de pegar filmes cult e tentar transformá-los em grandes hits de bilheteria em uma sequência, Hollywood estragou o legado da comédia Zoolander (2001), uma das mais amadas da década passada, com uma continuação que não agradou os fãs em nada.

U.S. MARSHALLS – OS FEDERAIS (1998) | O Fugitivo, de 1993, trazia Harrison Ford e Tommy Lee Jones entregando os melhores trabalhos de suas carreiras (Jones venceu o Oscar) em um longa de ação perfeitamente estruturado. Tire Ford da equação, e substitua o diretor Andrew Davis por Stuard Baird, e você tem uma continuação que pouco tem a ver com o original, em trama e qualidade.