10 coisas sobre a viagem no tempo de Vingadores: Ultimato que não fazem sentido

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Spoilers de
Vingadores: Ultimato abaixo!

Vingadores: Ultimato é um filme recheado de momentos épicos e emocionantes, mas isso não significa que o filme também não tem os seus defeitos. Dentre os principais problemas de Vingadores: Ultimato, o que mais se destaca é a confusão que o filme faz com o conceito de viagem no tempo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ScreenRant listou as 10 coisas sobre a viagem no tempo em
Vingadores: Ultimato que não fazem o menor sentido.

10 – Por quê Tony interage com Howard Stark?

Além de botar todo o plano em risco, essa cena de
Vingadores: Ultimato acrescenta pouco para a trama do filme, servindo para o
único propósito de dar um momento emocionante para Tony Stark conversar com seu
pai. No fim das contas, ela prova que Howard era de fato um bom homem, mas
mesmo assim ela faz pouco sentido se analisarmos o filme como um todo.

9 – As interações dos Vingadores no passado

As regras de viagem no tempo são sempre confusas, mesmo
assim é quase que um consenso a ideia de que interagir demais com pessoas do
passado pode gerar problemas na linha do tempo. Em Vingadores: Ultimato, os
heróis interagem bastante com pessoas do passado, o que torna tudo muito mais
confuso, já que obviamente alguma coisa no futuro deveria mudar graças à essas
interações, a não ser que os atos dos heróis acabem criando linhas do tempo
alternativas no final das contas.

8 – A teoria de linhas do tempo ramificadas

Em Vingadores: Ultimato, temos a cena em que Hulk conversa
com a Anciã sobre o conceito de viagem no tempo. Aqui, ela explica que caso as
Joias do Infinito não sejam devolvidas ao seu lugar de origem no passado, novas
ramificações na linha do tempo seriam criadas. Porém, essa explicação não faz
muito sentido, já que as próprias interações dos Vingadores com pessoas do
passado já causariam essas ramificações na linha do tempo.

7 – Capitão América e o Soldado Invernal

As interações do Capitão América com sua versão de 2012, juntamente com a cena do elevador em Vingadores: Ultimato deveria ter mudado pra sempre os eventos do filme Capitão América 2: Soldado Invernal, já que ele diz ao Steve Rogers do passado que Bucky está vivo.

6 – As mecânicas da viagem no tempo

Sim, em Vingadores: Ultimato temos algumas cenas em que Tony
Stark explica as particularidades da viagem no tempo e como elas funcionam mas
mesmo assim não parece suficiente. A audiência simplesmente tem que aceitar que
os Vingadores controlam exatamente o lugar e o tempo no qual eles vão aparecer
no passado, o que não faz muito sentido no fim das contas. Faltam mais
explicações.

5 – Nebulosa cria uma realidade alternativa

Um dos grandes problemas de viagem no tempo em Vingadores:
Ultimato envolve Thanos, Gamora e Nebulosa. No momento em que Thanos vê os
pensamentos da Nebulosa do futuro juntamente com a Gamora de 2014, uma nova
linha do tempo deveria ter sido criada para a Nebulosa.

4 – Thanos não poderia existir na mesma linha do tempo

Outro problema que envolve Thanos, Gamora e Nebulosa em Vingadores: Ultimato fica visível ao final do filme. Se Tony Stark usa as Joias do Infinito para eliminar o Thanos de 2014 do universo, teoricamente Thanis não deveria existir nessa mesma linha do tempo em um momento passado, certo? A única opção aqui seria considerar que na realidade tudo acontece em uma linha do tempo alternativa.

3 – O passado que eles visitam é um passado alternativo?

De qualquer forma, a única maneira de explicar a viagem no
tempo em Vingadores: Ultimato é assumir que em todas as viagens, uma nova
realidade sempre é criada. Com o surgimento do conceito de multiverso no MCU,
que deve ser explicado em Homem-Aranha: Longe de Casa, a explicação para as
viagens fique mais clara e os roteiristas acabem decidindo que na verdade eles
não viajaram a um passado que eles viveram e sim um passado alternativo.

2 – Quill e os Guardiões da Galáxia

Quando o Máquina de Guerra nocauteia Peter Quill em Vingadores: Ultimato, os eventos de Guardiões da Galáxia certamente seriam mudados. É possível que os Guardiões da Galáxia nem se conhecessem graças a essa mudança, ou que eles acabassem se encontrando de uma maneira bem diferente. Nada disso é esclarecido em Vingadores: Ultimato no fim das contas.

1 – Loki escapa com o Tesseract

Esse evento nem é comentado pelos heróis em Vingadores: Ultimato e ele causa um impacto gigante no MCU. Quando os Vingadores voltam para a Batalha de Nova York em 2012, eles acidentalmente deixam que Loki consiga obter o Tesseract, o que não acontece na linha do tempo original e que certamente muda diversos eventos no Universo Marvel. Essa mudança deveria ter sido ao menos comentada durante o filme. Veremos como ela deve afetar o futuro do MCU.

Vingadores: Ultimato segue em exibição nos cinemas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio