Game of Thrones está chegando ao fim, e os rumos que a série vem seguindo estão desagradando muitos fãs.

O final da série deve ser bem diferente do desfecho de As Crônicas do Fogo e Gelo, saga literária em que Game of Thrones é baseada.

Vale lembrar que o livro mais recente da saga, Dança dos Dragões, foi lançado há mais de 8 anos, e os fãs esperam desde então pela publicação de Os Ventos do Inverno.


Mesmo assim, informações dos livros de George R.R. Martin e da obra Fogo e Sangue podem ajudar a prever o final da série da HBO. Confira abaixo o que os livros das Crônicas do Fogo e Gelo podem nos dizer sobre o final de Game of Thrones.

A Força do Dragões

Muitos fãs de Game of Thrones se surpreenderam quando os Escorpiões de Euron Greyjoy não puderam deter Drogon, já que Rhaegal havia sido vítima de suas flechas. A obra de George R.R. Martin explica esse ponto: nem todos os dragões têm a mesma força.

Em Fogo e Sangue, livro que narra a conquista de Westeros por Aegon Targaryen, um dos dragões do primeiro Rei dos Sete Reinos foi abatido por soldados em Dorne, com a utilização de uma arma semelhante à de Euron Greyjoy. O autor explica que mesmo que os dragões Targaryen tenham sido acostumados com batalhas abertas, uma flecha longa de aço poderia matá-los, caso atingisse algum ponto vulnerável.

No caso de Meraxes, o dragão comandado pela bela Rhaenys Targaryen, a flecha atingiu o seu olho, e a besta caiu dos céus em agonia mortal, matando sua amazona no processo.

Em relação à força dos dragões, as Crônicas do Fogo e Gelo deixam claro que Balerion, o Terror Negro, era maior, mais forte, e mais poderoso que seus irmãos Meraxes e Vhagar. Por isso, ele era montado pelo próprio Aegon Targaryen.

Rainhas

Em Game of Thrones, Daenerys Targaryen e outras personagens lutam contra o aspecto patriarcal da sociedade de Westeros. A obra de George R. R. Martin confirma que o sistema político dos Sete Reinos nunca admitiu a possibilidade de uma Rainha reinante, nem mesmo na dinastia Targaryen.

Durante a dinastia dos Reis Targaryen, os Sete Reinos encontraram a prosperidade sob o comando do Rei Jahaerys, que governou Westeros por 55 anos ao lado de sua meia-irmã Alysanne. O casal teve 9 filhos, e Alysanne exercia forte influência em seu marido.

Quando o primogênito do casal e herdeiro do trono, Aemon, faleceu em batalha, Jahaerys teve que escolher entre coroar seu próximo filho na linha de sucessão, Baelon ou Rhaenys, filha de Aemon. Ele acabou escolhendo Baelon, e sua rainha o deixou temporariamente, revoltada com a atitude machista do marido.

A questão sobre o direito de sucessão das mulheres em Westeros foi respondida com a Dança dos Dragões, uma guerra civil que dividiu o reino em duas facções.

O conflito começou com a morte do Rei Viserys. O monarca havia tido dois filhos com mulheres diferentes, Rhaenyra (sua filha mais velha e herdeira por direito) e Aegon (seu primeiro filho com a segunda esposa). Após uma guerra violenta que durou muitos anos e foi responsável pela morte da maioria dos dragões dos Targaryen, o trono acabou indo para Aegon III, filho de Rhaenyra. Vale lembrar que a Dança só terminou pelas ações de regentes femininas que perderam seus maridos ou familiares nas batalhas.

As Guerras de Westeros

Um dos motivos que deixou os fãs de Game of Thrones mais revoltados com a temporada final foi a transformação de Daenerys. A “Mhysa”, se tornou uma destruidora de cidades, ao arrasar Porto Real em sua batalha contra Cersei.

No entanto, quem conhece a história de Westeros sabe que demonstrações violentas de poder são comuns nos Sete Reinos, e que os Targaryen eram conhecidos por defender suas convicções até as ultimas consequências, com Fogo e Sangue.

O ataque de Daenerys a Porto Real parece ter sido um eco do saque de Tumbleton, acontecido também na Dança dos Dragões. A então próspera cidade da Campina foi destruída completamente pelo fogo de não apenas um, mas três dragões.

A descrição do massacre, por George R.R. Martin, lembra muito as cenas do quinto episódio da temporada final de Game of Thrones.

“O saque que se seguiu foi o mais selvagem da história de Westeros. Tumbleton, uma próspera cidade, foi reduzida a cinzas e pó. Milhares queimaram, e muitos morreram afogados enquanto tentavam fugir pelo rio. Idosos e crianças foram executados, enquanto os dragões se fartavam nas carcaças queimadas e distorcidas das vítimas”.

Um mundo com Dragões

Símbolos da casa Targaryen, os dragões eram comuns em Westeros em eras passadas. No entanto, os livros de Game of Thrones confirmam que um mundo com a presença de dragões é perigoso, imprevisível e capaz de enlouquecer qualquer um.

Durante a Dança dos Dragões, grande parte dos ataques era praticado pelas criaturas aladas. Alguns deles morreram em batalhas aéreas, outros ficaram sem cavaleiros e fugiram, e mais alguns continuavam a devastar áreas inteiras de Westeros.

Eventualmente, o povo de Porto Real perdeu a paciência. Sob a liderança de um pregador louco chamado Shepherd, a população da cidade invadiu o Fosso dos Dragões e matou todas as quatro criaturas que lá viviam.

O Mestre dos Sussurros

Uma das posições mais importantes do governo de Westeros, o Mestre dos Sussurros com certeza é o mais ameaçado por mudanças bruscas nos governantes. Varys que o diga.

Um dos participantes mais enigmáticos da Dança dos Dragões foi Lord Larys Strong, que serviu como Mestre dos Sussurros para os Reis Viserys e Aegon II. Ele desapareceu misteriosamente quando as forças de Rhaenyra tomaram Porto Real, retornando para ajudar a restauração de Aegon e depois o envenenando e contribuindo para o fim da Dança. Assim como Varys, Larys Strong mudou de ideia até o final, e sempre buscava o que era melhor para seus objetivos.

Além de Larys Strong, Westeros já contou com vários Mestres dos Sussurros interessantes. Entre eles, destaca-se Mysaria, uma das únicas mulheres a assumir o posto.

Também conhecida como a Verme Branca de Lys, Mysaria era uma dançarina e prostituta albina que caiu nas graças do Princípe Daemon e utilizou seus conhecimentos sobre as vielas de Porto Real para reunir uma verdadeira rede de espiões. Ela também serviu a rainha Rhaenyra durante a Dança dos Dragões, antecipando vários dos planos dos inimigos da monarca.

O episódio final de Game of Thrones será exibido na HBO e no HBO GO neste domingo, 19 de maio.