A temporada final de Game of Thrones está desagradando muitos fãs. De se negarem a assistir ao último episódio da série ao produzirem uma petição para pedir a refilmagem da oitava temporada, espectadores estão encontrando maneiras cada vez mais criativas para protestar contra a dita má qualidade dos novos episódios

O site Slash Fim produziu uma lista com tudo que há de errado com a oitava temporada de Game of Thrones, na opinião dos fãs e críticos.

Confira abaixo!


Tudo está indo muito rápido

Nas primeira temporadas de Game of Thrones, a decisão de mostrar personagens viajando juntos foi essencial para a criação de laços sentimentais com o público. Com a necessidade de expôr tramas maiores em um menor intervalo de tempo, Game of Thrones perdeu parte da sua sutileza, apostando em um enredo mais rápido e simplista.

É claro que, com apenas 6 episódios para concluir uma trama de quase uma década, é de se esperar que certos acontecimentos sejam acelerados. Mesmo assim, alguns personagens se desenvolveram basicamente do dia para a noite, sem contar nas críticas em relação à velocidade real com que alguns personagens chegam em áreas afastadas de Westeros.

Entre os momentos acelerados da temporada final de Game of Thrones se destacam a última conversa entre Sandor Clegane e Arya Stark e a morte de Cersei Lannister.

Cersei e Jaime

A conclusão da trama de Cersei e Jaime Lannister foi um balde de água fria para muitos fãs de Game of Thrones.

Em relação à Rainha de Westeros, seu arco foi interrompido bruscamente, e ela passou a temporada final basicamente bebendo e esperando pela morte. Além disso, a profecia de Maggy, a Rã, foi completamente ignorada. Cersei não foi morta pelo Valonqar (irmão menor em Valiriano), mas pelo desabamento da Fortaleza Vermelha.

Mas para os fãs, o arco de Jaime foi pior ainda. Após finalmente ter uma noite de amor com Brienne, ele aparentemente se arrepende e retorna para Porto Real para morrer com a irmã. No início da série (e nos livros), Jaime já havia dito que pretendia e sempre pretendeu morrer junto de Cersei. Mesmo assim, com o desenvolvimento pessoal que Jaime passou nas temporadas anteriores, é de se estranhar que ele retorne aos velhos hábitos no final.

Oportunidades perdidas

Nos livros das Crônicas de Gelo e Fogo existem várias tramas que não foram aproveitadas pela série. Aparentemente, personagens que desapareceram, como Nymeria, Daario Naharis e Meera Reed nunca vão retornar, e respostas sobre seus arcos nunca vão ser providenciadas.

Uma temporada maior (ou até mesmo mais duas), daria a oportunidade aos roteiristas de resolver todas as questões e amarrar as pontas soltas de maneira mais satisfatória.

A Rainha Louca

Entre os ditos problemas da temporada final de Game of Thrones, o desenvolvimento de Daenerys Targaryen foi o que mais irritou os fãs. Muitos consideraram a virada no temperamento da Rainha como desnecessária e incondizente com a personalidade da personagem.

A maneira como Daenerys foi retratada foi vista até como machista para alguns internautas mais emocionados.

Mesmo com a Targaryen prometendo desde a primeira temporada que destruiria cidades e tomaria o trono com Fogo e Sangue, o cumprimento de sua promessa azedou vários fãs.

O que podemos aprender

Game of Thrones não é ruim, e sua temporada final não é ruim. A série pode ter se afastado das expectativas dos fãs e tomado muitas decisões no mínimo polêmicas. Porém, a qualidade técnica dos novos episódios não pode ser ignorada. O segundo episódio da temporada “O Cavaleiro dos Sete Reinos”, foi um dos melhores da série, apostando em emoções reais entre os relacionamentos interpessoais dos personagens.

Talvez seja isso que faltou nas últimas temporadas de Game of Thrones. Mais sutileza nos diálogos e menos eventos acelerados e batalhas exageradas com computação gráfica.