Depois de um começo problemático, tudo indica que o Universo Estendido da DC está começando a se ajeitar. Com os sucessos de Mulher-Maravilha e Aquaman, os fãs estão com esperanças renovadas para o futuro da franquia. Mesmo assim, ainda vale a pena relembrar todos os erros cometidos pela DC, especialmente para reforçá-los e evitar que eles se repitam no futuro.

O WhatCulture listou os 10 problemas nos filmes da DC que os fãs ainda não tem coragem de admitir.

10. Um reboot de Esquadrão Suicida é uma péssima ideia

Apesar da adição de James Gunn ao Universo Estendido da DC ser uma ótima ideia, colocá-lo para dirigir um reboot de Esquadrão Suicida – e não uma sequencia – é simplesmente uma péssima ideia. Sim, o Esquadrão Suicida original é um filme que deve ser esquecido, mas fazer um reboot agora estraga a narrativa da DC, que defendeu que os filmes da franquia são feitos para os fãs e não para a crítica. Rebootar Esquadrão Suicida neste momento é dizer que a DC está disposta a se curvar para a crítica especializada.


9. Continuidade muito diferente

O multiverso da DC sempre foi complexo e agora a tendência é que ele fique mais ainda. Com o novo Batman de Robert Pattinson e o Coringa de Joaquin Phoenix se passando em realidades alternativas aos filmes anteriores da franquia, a continuidade da DC vai se tornar ainda mais bagunçada. No fim das contas, ninguém sabe quais são as produções da DC que estão no mesmo universo e quais não estão, sendo o Arrowverso – com Arrow, The Flash, Supergirl e outras séries – a única produção da DC que tem um mínimo de coerência em sua continuidade.

8. Crise de identidade

A DC sempre teve uma crise de identidade em seus filmes, já que seus cineastas e produtores nunca souberam imprimir o tom correto nos filmes. Por exemplo, o Homem de Aço é extremamente dramático, Batman vs Superman é sombrio, Esquadrão Suicida é bizarro e Mulher-Maravilha é um filme mais leve. No fim das contas, nenhum filme se encaixa um no outro e todos tem tons e temáticas extremamente discrepantes. No futuro, a DC precisa resolver esse problema urgentemente, definindo um tom único para seus filmes a partir de agora.

7. Zack Snyder está prejudicando a DC

Todo cineasta em algum momento vai ter seu filme alterado e sua visão descartada do produto final, o que gera uma irritação justificável. O problema é que Zack Snyder está levando isso até as últimas sequências e está transformando o tão sonhado “Snyder Cut” de Liga da Justiça em uma cruzada contra a DC.

Uma coisa é os fãs pedirem para que a DC divulgue cenas deletadas dos filmes, mas no momento em que próprio Zack Snyder entra nessa briga, ele acaba prejudicando a Warner, a DC e todos os filmes futuros da franquia, provocando uma briga que não leva ninguém a lugar algum.

6. A DC colocou o “carro na frente dos bois”

Com ansiedade para repetir o sucesso do MCU, o Universo Estendido da DC resolveu correr antes de sequer aprender a andar. Ao invés de fazer filmes solo para seus grandes personagens antes de juntá-los em um supergrupo, a DC resolveu introduzir todos de uma vez em Batman vs Superman e Liga da Justiça, o que acabou prejudicando totalmente os filmes e os personagens, que não se tornaram conhecidos e não ganharam o carisma do público como deveriam.

5. Anúncio de filmes que não acontecem

Apesar de empolgar os fãs da DC, é imprudente e irresponsável esse ato de anunciar tantos filmes para o futuro e não se comprometer a produzir todos eles. Existiu um período em que a Warner anunciou diversos filmes da DC que sequer chegaram a iniciar sua frase de produção – como o filme solo do Coringa de Jared Leto – o que só mostra a desorganização do estúdio. Projetos como um filme solo do Asa Noturna e do Ciborgue sequem sendo ventilados nos bastidores, mas a chance de algum deles ver a luz do dia é extremamente incerta, já que a DC muda de ideia o tempo todo.

4. A DC precisa de um Kevin Feige

O status de Kevin Feige como o “Padrinho” do MCU é um dos motivos pelo qual a franquia da Marvel faz tanto sucesso. Feige atua não só como um executivo, mas como um líder criativo que estabelece uma linha a ser seguida pelos cineastas que trabalham no MCU. Esse tipo de liderança é fundamental para manter as coisas organizadas e é o que falta na DC neste momento, já que a franquia não parece ter um “chefe” por trás que tome as decisões corretas.

3. Ninguém se importa com o Ciborgue

Todos amam um renegado, mas achar que o Ciborgue é um personagem amado pelo público é simplesmente loucura. Um filme solo do Ciborgue – que está nos planos da DC para 2020 – seria um suicídio comercial para a DC neste momento, já que o personagem é pouco conhecido e sua aparição em Liga da Justiça não foi nada memorável. No fim das contas, é melhor esperar para explorar o personagem em outra oportunidade e dedicar o momento atual para heróis maiores e já estabelecidos.

2. A DC tenta ser a Marvel (e falha)

A DC nunca será a Marvel, apesar de tentar a todo o momento. O MCU se tornou a referência de construção de um universo compartilhado nos cinemas, além de ter se tornando também a franquia mais lucrativa de todas, o que por si só já torna a comparação com a DC – que ainda está engatinhando – bem injusta. No fim das contas, o plano da DC de tentar ser uma Marvel com filmes mais adultos e sombrios falhou e o estúdio terá de encontrar um novo caminho para continuar sendo relevante.

1. O Ultimato da DC falhou

Por um momento, a Liga da Justiça parecia ser a salvação do Universo Estendido da DC nos cinemas, mas agora tudo foi por água abaixo. Com a já confirmada saída de Ben Affleck e a provável despedida de Henry Cavill como Superman, qualquer plano de fazer um Liga da Justiça 2 está descartado. No fim, apesar do sucesso de Mulher-Maravilha e Aquaman, a mudança dos dois heróis principais da DC inviabilizou a existência de um universo compartilhado para a franquia, o que dificulta ainda mais o trabalho da Warner daqui pra frente.