Ao longo de suas oito temporadas no ar, Game of Thrones proporcionou alguns dos momentos mais grandiosos da televisão. Mas nem tudo são rosas, já que a série da HBO já cometeu algumas coisas bem ridículas.

Aqui, listamos os 10 maiores exemplos de estupidez na história de Game of Thrones, e nem repare se a maioria dos itens for relacionada à temporada final…

Confira abaixo.


A tortura de Theon

Não dizendo que foi errado Theon Greyjoy pagar por seus crimes e atos hediondos na temporada passada de Game of Thrones. O que foi completamente ridículo é a HBO apostar em uma temporada inteira de puro exploitation e violência gratuita, sinceramente. Nada para realmente agregar valor aqui, a não ser a punição de Theon.

Tudo que acontece em Dorne

Os fãs podem falar o que quiserem da temporada final de Game of Thrones, mas nada será tão ridículo quanto o arco de Dorne e as Serpentes da Areia na quinta temporada. É uma chatice sem fim, e que conta com caracterizações e performances dignas de uma paródia pornô, no máximo.

Ressuscitar Jon Snow

Jon Snow morreu de forma trágica e até heróica na quinta temporada de Game of Thrones, sendo ressuscitado por Melisandre na sexta temporada. Ele deveria ter sido trazido por algum motivo, mas seu desfecho anticlimático na temporada final revela que, no fundo, não havia motivo para Jon Snow voltar – a não ser para unir o restante do Norte.

Capturar um zumbi

Se requer alguma prova de como a narrativa de Game of Thrones diminuiu em termos de inteligência, o plano de Jon Snow e os nortistas na sétima temporada era simplesmente capturar um dos zumbis do Rei da Noite e levá-lo para Porto Real a fim de comprar sua existência. Ok, então.

Jonerys

Às vezes me parece que David Benioff e D.B. Weiss prestavam atenção em Tumblrs de Game of Thrones. O romance entre Jon Snow e sua tia Daenerys Targaryen é uma das coisas mais ridículas da série, trazendo reviravoltas sem sentido e – pior ainda – a completa ausência de química entre o casal.

A morte do Rei da Noite

Foram anos e anos construindo a ameaça assustadora do Rei da Noite e seu exército de zumbis congelantes. Real terror foi passado na Batalha de Winterfell, tudo para o enigmático vilão sucumbir a um mero deus ex machina de Arya Stark, que facilmente apunhalou o Rei da Noite. De uma hora para outra, perdemos a grande ameaça da série de forma decepcionante.

Estupro como crescimento

Tudo por conta de uma fala. Quando Sansa diz que não teria se tornado quem ela é sem os abusos de Joffrey e Ramsay, temos evidência de um erro repreensível nos roteiros de Game of Thrones, que usam o estupro como escada de crescimento de personagem. Nada legal.

Jaime voltando atrás

Jaime Lannister teve um dos arcos mais interessantes e complexos de Game of Thrones, deixando de ser um guerreiro arrogante e nojento para se tornar um cavaleiro nobre e respeitável. Tudo jogado no lixo quando ele decide abandonar Brienne e tentar resgatar Cersei em Porto Real, levando à sua morte ao lado da irmã. Se era pra se livrar de Jaime assim, que tivessem matado-o na Batalha de Winterfell.

A loucura apressada de Daenerys

Novamente, vamos repetir: não é sobre Daenerys Targaryen se tornar a Rainha Louca, é pelo tempo em que isso foi feito. Foi uma mudança abrupta demais, realizada literalmente de um episódio para o outro, e que acabou soando como descaracterização da personagem quando deveria ter sido uma progressão natural.

Desperdício de Cersei

Quando o Rei da Noite foi morto abruptamente na Batalha de Winterfell, a grande antagonista de Game of Thrones se tornou Cersei Lannister. Não só a rainha não tinha um grande plano para conter a invasão de Daenerys em Porto Real, como literalmente não fez nada durante toda a temporada final, e teve uma morte extremamente anticlimático.

Todas as temporadas de Game of Thrones estão disponíveis na HBO GO.