Vingadores: Ultimato está quase saindo dos cinemas, mas ainda é hora de analisar esta que, definitivamente, é a aventura com super-heróis de maior escala da história do cinema.

Naturalmente, como em toda narrativa, tivemos pontos positivos e negativos. Abaixo, você confere sete coisas que funcionaram em Vingadores: Ultimato – e outras três que não foram tão boas.

Confira a seguir.


Funcionou: a viagem no tempo

A viagem no tempo é um conceito confuso na melhor das hipóteses, mas Vingadores: Ultimato faz um bom trabalho ao estabelecer algumas regras que funcionam e não são excessivamente complicadas.

Basicamente, mudar o passado não muda o futuro. Esse passado se tornaria seu novo futuro se você ficasse lá e um cronograma diferente então seria criado. Cada alteração cria uma linha do tempo alternativa, que você pode apagar simplesmente desfazendo a alteração. É o que acontece com as Joias do Infinito.

Funcionou: a revisita ao passado

Vingadores: Ultimato revisita os eventos de Os Vingadores, Guardiões da Galáxia e Thor: O Mundo Sombrio. Também nos leva de volta aos anos 1970 para um vislumbre daquela época do Universo Cinematográfico da Marvel. É nostálgico, mas também traz momentos de grande impacto dramático nos personagens.

Funcionou: o adeus ao Capitão América e ao Homem de Ferro

O Homem de Ferro morre usando a Manopla do Infinito para parar Thanos depois de ter uma vida feliz com sua filha e sua esposa. O fato de ele sacrificar uma vida feliz para consertar as coisas faz sentido para o seu arco de história.

Quanto ao Capitão América, ele é sortudo o suficiente para receber o final que merece. Viajando de volta no tempo para devolver as Joias do Infinito ao seu lugar de direito, Steve Rogers finalmente decide permanecer no passado para que possa viver sua vida com Peggy Carter. Já velho, ele passa seu escudo para o Falcão.

Não funcionou: o novo Thanos

Thanos é morto por Thor logo no início, mas quando a versão de 2014 descobre o que os super-heróis estão fazendo, ele viaja até os dias atuais para obter as Joias do Infinito e criar um novo universo à sua imagem.

É uma ideia inteligente, mas podiam ter apresentado uma nova ameaça em vez de reutilizar Thanos, especialmente quando sua história termina no primeiro ato.

Funcionou: o Professor Hulk

A transformação de Bruce Banner em Professor Hulk ocorre no salto temporal de 5 anos durante Vingadores: Ultimato e não chegamos a assisti-la, mas isto não o torna menos satisfatório e divertido. Forte e muito inteligente, o novo Hulk rouba a cena, fornecendo risadas ao mesmo tempo em que é muito útil para a narrativa.

Funcionou: grandes surpresas

Foram criadas muitas teorias sobre Vingadores: Ultimato e havia muita atenção sobre o longa, mas algumas coisas simplesmente não tiveram nem um detalhe vazado. Rostos famosos retornaram, e quem diria que Thor ficaria tão fora de forma? Aliás, o fato de Thor ter cortado a cabeça de Thanos logo no início também foi muito chocante.

Não funcionou: os heróis que retornam não têm muito tempo de tela

Vingadores: Ultimato realmente é muito focado nos seis Vingadores originais. Quando os super-heróis mortos por Thanos retornam, participam da briga do terceiro ato e aparecem no funeral de Tony Stark, mas não fazem muito além disso. É um pouco decepcionante como Doutor Estranho, por exemplo, é subaproveitado considerando todo o tempo em que apareceu em Vingadores: Guerra Infinita.

Funcionou: morte é morte

Nem todos os personagens que morreram em Vingadores: Guerra Infinita retornam, o que é bem impactante. Loki e Visão continuam bem mortos, e a morte de Gamora não é revertida. Em vez disto, quem retorna é a Gamora de 2014, que não tem consciência do que aconteceu nos últimos anos. Foi uma saída inteligente.

Funcionou: “Vingadores, Avante!”

O Capitão América finalmente diz “Vingadores, Avante!”, famosa frase das histórias em quadrinhos, num momento do clímax de Vingadores: Ultimato. Não há muito o que dizer além de que é uma cena de arrepiar.

Não funcionou: o pequeno papel da Capitã Marvel

A Capitã Marvel surge durante o primeiro ato, mas desaparece por um bom tempo até retornar durante a batalha final de Vingadores: Ultimato. A super-heroína teve alguns momentos para brilhar, mas nada perto do que havia sido prometido. Considerando que Vingadores: Ultimato foi escrito bem antes de Capitã Marvel, os roteiristas podem não ter considerado que o longa se tornaria um grande sucesso de bilheteria.