Stranger Things é conhecida por se inspirar em diversos aspectos culturais dos anos 80, mas a série não para por aí no quesito referências. A 3ª temporada da série está repleta de detalhes e muitos deles podem ter passado despercebidos pelos espectadores.

O Looper listou alguns detalhes que você perdeu em Stranger Things 3.

Cérebro

Em Stranger Things 3, Dustin tem uma espécie de rádio amador que ele usa para se comunicar com Suzie, sua namorada. Curiosamente, Dustin decide chamar o aparelho de Cérebro, o que é uma referência clara à máquina que o Professor Xavier usa em X-Men para amplificar seus poderes psíquicos e localizar outros mutantes.


A metáfora da desmagnetização

Novamente, é Joyce quem se mostra a personagem mais observadora de Stranger Things. Durante a 3ª temporada, Joyce percebe que tem algo errado acontecendo quando os imãs de geladeira – tanto de sua casa quanto do trabalho – param de funcionar. Esse fenômeno é um efeito colateral causado pelos experimentos dos russos, que estão tentando abrir o portal de Hawkins para o Mundo Invertido.

Porém, esse não é o único significado que a desmagnetização possui em Stranger Things. Esse fato também serve como uma metáfora para os personagens, que assim como os imãs de geladeira, estão vendo suas relações se desconectando. Will se sente sozinho com todos os seus amigos namorando, Hopper se distancia de Eleven por conta da relação dela com Mike, Steve se vê totalmente rejeitado pelas garotas… Diversos exemplos mostram que Stranger Things 3 falou muito sobre distanciamento.

Topo do Vento

Dustin foi de fato o rei das referências em Stranger Things 3. O rapaz nomeou o caminho que ele percorre para chegar ao Cérebro de Topo do Vento. Este nome é uma referência direta a um local de Senhor dos Anéis, em que Frodo, Aragorn e os outros Hobbits acampam antes de ir para Rivendell.

Will, o esquecido

A irônia mais cruel de Stranger Things 3 é o que acontece com Will. Se na primeira temporada da série todos os seus amigos estavam procurando por ele, aqui ele está o tempo todo presente mas totalmente “invisível”. Com Mike, Eleven, Dustin e Lucas focados em outras coisas, Will se sente cada vez mais sozinho. No fim, parece que ele está de volta ao Mundo Invertido, mesmo não estando de fato.

Os quadrinhos de Max

No quarto episódio de Stranger Things 3, Max mostra para Eleven duas histórias em quadrinho, Mulher-Maravilha #326 e Lanterna Verde #185. Curiosamente, ambas as histórias possuem vilões que se assemelham muito ao Devorador de Mentes.

Em Mulher-Maravilha #326, temos o vilão Tezcatlipoca, que é descrito como “a personificação da mudança por meio de conflito”. Já em Lanterna Verde #185, temos Eclipso, um vilão parasita que toma o controle de hospedeiros. Ambos os conceitos são bem parecidos com o do Devorador de Mentes, grande vilão de Stranger Things 3.

O Devorador de Mentes, o shopping e política

De certa forma, o Devorador de Mentes e o Shopping Starcourt de Stranger Things 3 servem como metáforas para o conflito da Guerra Fria, ou seja, EUA e capitalismo versus União Soviética e comunismo.

O Shopping Starcourt é bem diferente de todo o comércio da pacata Hawkins, o que significa que o shopping – um símbolo capitalista – acaba “matando” a cidade. Da mesma forma, o Devorador de Mentes só progride e evolui com a “destruição” de Hawkins. Mas não é só o capitalismo que sofre críticas aqui. O estado de união que o Devorador de Mentes provoca, transformando todos em “um só” é uma referência clara de Stranger Things aos males do comunismo.

O objetivo dos russos

Apesar das intenções dos russos em Stranger Things 3 não estarem totalmente claras, alguns indícios foram dados logo no começo da temporada. Na primeira cena da temporada, um cientista russo é assassinado. Logo depois, Dr. Alexei recebe a informação de que ele tem o período de um ano para tentar abrir o portal novamente. A cena revela pouca coisa, mas ela deixa claro que para os russos, abrir o portal de Hawkins não é apenas uma questão científica. Existe algo que eles querem que está lá e existe uma urgência em conseguí-lo.

O americano?

Na cena pós-créditos de Stranger Things 3, temos um prisioneiro misterioso em um bunker russo cujo apelido é “o americano”.

Apesar da maior parte das teorias indicarem que Hopper é o tal americano, existe uma chance grande deste prisioneiro ser ninguém menos que o Doutor Brenner, o vilão da 1ª temporada de Stranger Things, que sobreviveu e está sendo mantido de refém pelos russos por conta de seu conhecimento sobre o Mundo Invertido.

A jaula que Erica encontra

No sexto episódio de Stranger Things 3, Erica e Dustin encontram uma jaula na base russa escondida em Hawkins. Pelas contas de Erica, a jaula é do tamanho exato de um Demogorgon, o que significa que ela provavelmente foi usada para capturar a criatura que vimos nas cenas pós-créditos – ou está ali para capturar um outro Demogorgon. Não sabemos de fato como os russos conseguiram aquele Demogorgon, mas tudo indica que essa jaula está relacionada.

A magia do cinema

Por meio do letreiro do cinema de Hawkins, Stranger Things 3 usa diversos filmes dos anos 80 para fazer referência as tramas da série.

A Coisa fala sobre seres parasitas (como o Devorador de Mentes); O Mundo Fantástico de Oz conta com vilões chamados Wheelers (que é o sobrenome de Nancy e Mike); D.A.R.Y.L. é sobre um experimento científico do governo que tem como objetivo a criação de crianças soldados (como Eleven); Assassinato por Encomenda conta a história de um jornalista investigativo (como Nancy); Cocoon é sobre aliens disfarçados de humanos. Inteligentemente, todos esses filmes fazem referências as tramas principais de Stranger Things.

Todas as três temporadas de Stranger Things estão disponíveis na Netflix.