Embora o DCEU certamente tenha tido um início complicado, as coisas parecem estar se acertando, com alguns sucessos ajudando a aliviar a pressão sobre o universo compartilhado dos quadrinhos da DC.

O tom foi um de seus maiores problemas inicialmente, e embora realmente tenha sido problemático muitas vezes, também gerou algumas cenas genuinamente emocionantes e comoventes.

Aqui estão as dez coisas mais devastadoras que já aconteceram no DCEU até o momento.


Barry visita seu pai (Liga da Justiça)

Liga da Justiça não chegou nem perto do sucesso que todos esperavam, mas teve seus bons momentos. Um deles é a cena em que Barry Allen, o Flash, visita seu pai, Henry Allen, na cadeia.

Embora Barry acredite que seu pai é inocente, Henry diz que é hora de seguir em frente e pede que ele pare de vê-lo. Foi importante para mostrar que o Flash não era só um alívio cômico.

Pistoleiro e sua filha (Esquadrão Suicida)

Esquadrão Suicida certamente não é a parte mais amada do DCEU. Entre tantos arcos de história ruins, o que se salvou foi o de Pistoleiro e sua filha.

Por trás de uma carreira como um assassino habilidoso, havia um pai amoroso. É justo o seu desejo de reencontrar sua família que o motiva a entrar para a equipe de vilões.

Superman mata Zod (O Homem de Aço)

O Homem de Aço foi o pontapé inicial do DCEU, e também foi muito controverso. Em sua cena mais polêmica, Superman decide quebrar o pescoço de Zod para evitar que ele mate alguns civis.

Foi um momento comovente e tão divisivo que até o produtor Christopher Nolan e o escritor David S. Goyer se opuseram à ideia de o Superman matar, mas o diretor Zack Snyder insistiu que fosse dessa maneira.

O traje de Robin (Batman v Superman)

Não tivemos tanto da história de Robin quanto esperávamos em Batman v Superman. Na verdade, não tivemos praticamente nada.

Mas em um breve momento, vemos Bruce Wayne andando pela Batcaverna e parando para olhar para um traje de Robin, que sabemos que foi morto. Foi o bastante para que a cena fosse um pouco triste.

O retorno de Atlanna (Aquaman)

Surpreendentemente, Aquaman se tornou o maior sucesso de bilheteria do DCEU. Foi, acima de tudo, uma aventura louca e com um grande coração.

No terceiro ato, Arthur Curry se reencontra com sua mãe, Atlanna, que acreditava estar morta, mas o momento mais comovente acontece quando ela pergunta sobre seu pai e Aquaman diz que ele ainda fica no cais todos os dias esperando que ela retorne.

A morte do Superman (Batman v Superman)

Batman v Superman teve muita história para contar e, para muitos, isto foi um problema. Havia o embate entre os protagonistas, o início da ideia de Liga da Justiça e a queda do Superman também.

Assim como nas histórias em quadrinhos, Doomsday matou o super-herói nos cinemas. Ele retornou rapidamente em Liga da Justiça, mas ver o Superman morrendo é sempre comovente.

A morte de Jonathan Kent (O Homem de Aço)

Aqui está outro momento muito controverso, mas devastador, de O Homem de Aço. No meio de um tornado, Jonathan Kent volta para seu carro para salvar seu cachorro e, quando machuca a perna, se vê incapaz de salvar a si próprio.

Clark Kent podia ajudá-lo com seus poderes, mas Jonathan não queria que os outros soubessem seu segredo, então convenceu, com um sinal, que era melhor que o deixasse morrer.

Massacre na vila (Mulher-Maravilha)

Um dos momentos mais memoráveis do ótimo Mulher-Maravilha foi quando Diana invadiu uma vila ocupada na Primeira Guerra Mundial e libertou seus habitantes com suas incríveis habilidades.

É uma cena inspiradora, mas depois o povo é brutalmente morto por um ataque de gás. É chocante a visão de Diana enquanto ela passa pela nuvem de veneno e enxerga todo o desastre.

O sacrifício de Steve Trevor (Mulher-Maravilha)

Mulher-Maravilha abordou com excelência um dos casais mais amados das histórias em quadrinhos, Diana Prince e Steve Trevor.

Em sua cena mais comovente, Steve, no meio da batalha, diz para Diana que a ama antes de se sacrificar para ajudar a salvar o dia.

Billy reencontra sua mãe (Shazam!)

Desde o início de Shazam!, Billy Batson é carregado pela motivação de reencontrar sua mãe, da qual se desprendeu acidentalmente há anos.

Mais tarde, descobrimos que ela não o perdeu, mas sim o abandonou. É um momento de partir o coração que ensina a Billy o que significa verdadeira família.