Depois de duas temporadas em baixa, The Walking Dead finalmente se reencontrou na 9ª temporada. A chegada da nova showrunner, Angela Kang, trouxe um frescor necessário para a série, que vinha se perdendo ao longo dos anos e apresentava uma queda de audiência constante. Agora, parece que tudo voltou ao normal.

Em um artigo, o Looper falou sobre os principais pontos da 9ª temporada que salvaram The Walking Dead.

Expandindo a narrativa

Desde a 6ª temporada The Walking Dead vem construindo um universo repleto de comunidades de sobreviventes, constituídas por Alexandria, Hilltop, Reino, Santuário e Oceanside. Na 8ª temporada essas comunidades entraram em guerra, mas no novo ano, a showrunner Angela Kang levou a história para rumos bem diferentes.


A nona temporada de The Walking Dead mostrou essas comunidades se unindo e lutando para coexistir, fazendo negociações e ajudando umas as outras quando necessário.

Essa decisão de estabelecer um “lugar seguro” para os protagonistas é acertada, já que ela foge da repetição de sempre que a série promovia antes. Agora The Walking Dead não é mais apenas sobre sobreviver a todo custo e sim sobre a reconstrução da civilização.

Adeus, Rick Grimes!

Outro ponto alto da 9ª temporada de The Walking Dead foi a maneira em que a série lidou com a despedida de seu protagonista, Rick Grimes. Os cinco episódios que marcam a saída do personagem construiram um arco bem interessante, que deixa um legado na série e um gancho para que o personagem reapareça nos filmes de The Walking Dead.

Além disso, com o crescimento de Judith Grimes e o nascimento de R.J. – o filho de Rick com Michonne – o legado de Rick Grimes continuou vivo em The Walking Dead, o que é uma maneira bem respeitosa de dizer adeus a um personagem tão querido.

Salto temporal

O salto temporal de seis anos que acontece após o desaparecimento de Rick Grimes foi fundamental para tornar a 9ª temporada de The Walking Dead interessante. Foi graças à ele que tivemos o crescimento de Judith Grimes, que se tornou uma personagem de fato, e graças à ele que tivemos a evolução das comunidades e de seus conflitos internos e externos.

Além disso, a passagem de tempo em The Walking Dead trouxe uma mudança crucial para o ambiente da série, que mostrou alguns zumbis se misturando à paisagem – como árvores – e a até a própria “mãe natureza” agindo, já que o inverno chegou na série pela primeira vez nessa temporada.

Negan

Grande vilão das duas temporadas anteriores, Negan se tornou um personagem muito mais interessante na 9ª temporada de The Walking Dead. Depois de ficar preso em Alexandria por seis anos, o personagem passou a ter uma nova visão de mundo – que em alguns pontos é semelhante à antiga.

Apesar do caminho de redenção estar traçado – Negan chegou a salvar Judith no último episódio – ainda é difícil prever o que os roteiristas farão com o personagem, que hora se mostra vilão, hora se mostra um anti-herói. De qualquer forma, é fato que Negan é hoje um dos personagens mais interessantes de The Walking Dead.

Os Sussurradores

Ainda bem que Negan deixou de ser o vilão de The Walking Dead. Depois de diversos vilões frios e calculistas, como Negan e o Governador, The Walking Dead finalmente inovou e introduziu vilões diferentes. Alpha e os Sussurradores são brutais, mas quase animalísticos. Diferente de todos os antagonistas, o grupo é extremamente assustador e quase inumano, o que torna tudo muito mais interessante.

Daryl e Carol

A relação de Daryl e Carol sempre foi um dos pontos altos de The Walking Dead, mas a 9ª temporada trouxe novas camadas para a amizade da dupla. Sim, eles não são um casal – e provavelmente não serão – mas o relacionamento deles continua evoluindo a medida em que a série avança.

Daryl melhorou consideravelmente na 9ª temporada de The Walking Dead. Sempre calado – e até desinteressante – nos últimos anos, o personagem ganhou mais vida e protagonismo nessa nova temporada, voltando a ser o Daryl que os fãs amavam nas duas primeiras temporadas da série.

Carol teve que lidar com o luto novamente na 9ª temporada de The Walking Dead. Ver a personagem crescendo, se tornando mãe novamente e perdendo tudo foi completamente devastador, mas ainda assim, um arco bem interessante para a personagem.

A Ascensão de Michonne

Com a saída de Rick e Maggie – que deve voltar para a série em algum momento – outros personagens tiveram que assumir o protagonismo, e quem se beneficiou muito disso foi Michonne. Um dos pontos altos da 9ª temporada de The Walking Dead foi o protagonismo da personagem, que finalmente teve todo o espaço para exercer sua liderança.

Na ausência de Rick, Michonne se estabeleceu como a voz dominante de The Walking Dead, assumindo para si a responsabilidade de administrar Alexandria e cuidar de Judith e R.J. Infelizmente, com a saída da atriz Danai Gurira – e consequentemente de Michonne – na 10ª temporada, a série vai perder mais uma vez uma personagem que virou referência. Esperamos que Angela Kang consiga resolver esse problema.

A 10ª temporada de The Walking Dead chega em 6 de outubro no Brasil, na Fox. A série será exibida a partir das 22h.