Top Gun foi lançado em 1986 e até hoje é considerado um dos grandes filmes de ação dos anos 80. O longa original trazia Tom Cruise como Pete “Maverick” Mitchell, um jovem piloto da Marinha americana que treina para se tornar um especialista em combate aéreo.

Agora, mais de 30 anos depois, o filme vai ganhar uma sequência. Top Gun: Maverick vai trazer de volta Tom Cruise como protagonista.

Enquanto o novo filme não chega os cinemas, o site Screen Rant mostrou 10 detalhes do Top Gun que podem ter passado despercebidos pelos fãs; confira abaixo!


Danger Zone

Fãs de Top Gun sabem que Danger Zone, de Kenny Loggins, é o tema musica do filme, tocando pelo menos 2 vezes no decorrer do longa. Após o sucesso do filme, a própria Marinha americana usou a música em vídeos de recrutamento.

Tom Cruise

Embora Tom Cruise tenha sido a escolha principal para o papel de Maverick, outros atores também foram considerados para protagonizar Top Gun. Entre os nomes mais importantes estavam Robert Downey Jr., Charlie Sheen e Matthew Modine. A escalação de Cruise foi um pedido expresso do produtor Jerry Bruckheimer.

Viper

Em Top Gun, Viper é um excelente piloto veterano que serve também como tutor para os cadetes mais jovens. O personagem é baseado em uma pessoa real: Pete “Viper” Pettigrew, um militar que serviu como piloto na Guerra do Vietnã, famoso por derrubar um MiG em pleno ar. O veterano também serviu como consultor na produção de Top Gun.

Rivalidade

Em Top Gun um dos principais temas é rivalidade entre Maverick e Iceman. Aparentemente, a relação difícil entre os personagens se expandiu para os bastidores. Tom Cruise e Val Kilmer se mantiveram distantes durante as gravações para dar realismo às interações dos personagens.

Importância

Em uma das cenas de aula do filme, Viper explica para os cadetes a importância dos jatos para as guerras, atuais e do futuro. No entanto, a previsão do personagem estava em parte errada. Hoje em dia, as forças armadas têm acesso a drones e veículos que não precisam de pilotos. O tema deve ser um dos principais do novo Top Gun.

Jatos reais

As sequências aéreas de Top Gun foram com certeza as mais impressionantes do filme. As cenas ficaram tão boas porque o longa teve acesso até então inédito a jatos reais da Marinha, incluindo lançadores de mísseis. Para o “empréstimo”, a Marinha estabeleceu regras rígidas para a filmagem das sequências.

A Torre

Em uma das cenas de Top Gun, Tom Cruise faz um “buzz” na torre de comando. O serviço era na verdade um dos mais pedidos por pilotos reais, que confirmaram o realismo da cena e da reação dos personagens.

A Morte de Goose

A morte de Goose é o momento mais triste de Top Gun, e originalmente seria ainda mais pesada. O roteiro original trazia a morte do personagem ao bater seu avião em um porta-aviões. A Marinha foi contra a cena, afirmando que um acidente horrível como esse seria prejudicial aos recrutamentos.

Uma morte real

Embora Goose tenha tido a morte mais triste de Top Gun, um membro da equipe de produção do longa realmente faleceu durante as gravações. Durante uma das sequências aéreas, um jato com uma das câmeras perdeu o controle e caiu no oceano, em um acidente semelhante ao mostrado no filme. Art Scholl, um dublê e piloto, morreu e nunca teve o corpo recuperado. Por isso, o filme é dedicado a ele.

Recrutamento

Como já foi citado nesta lista, Top Gun recebeu um apoio considerável da Marinha American para sua produção. Na época do lançamento, o filme chegou a ser bastante criticado por não se tratar de nada mais do que um “vídeo de recrutamento militar”.