Coringa foi um grande sucesso. Apesar de tanta controvérsia, a adaptação de quadrinhos da DC quebrou recordes de bilheteria e recebeu muitos elogios.

Embora Todd Phillips e Joaquin Phoenix não queiram uma sequência, inevitavelmente haverá interesse por parte da Warner Bros. Se encontrarem uma maneira de produzir, pode ser uma história bastante interessante.

Dito isto, não deve ser complicado encontrar uma história convincente, considerando o número de perguntas que ficam no ar. Aqui estão cinco teorias envolvendo essas perguntas que vão tornar Coringa uma experiência muito melhor – e mudar sua opinião sobre o longa.


Coringa é o símbolo de Gotham

Na trilogia O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, símbolos são muito importantes. Desde Batman Begins, existia a ideia de que o Homem-Morcego poderia ser qualquer um, já que um homem poderia ser destruído ou morto, mas um símbolo é “incorruptível”.

Em Coringa, existe um espelho perturbado dessa noção. Em vez de Batman, temos o Palhaço do Crime como símbolo de Gotham.

Enquanto Batman fez com que as pessoas acreditassem que a cidade poderia ser melhor, Coringa jogou Gotham ao caos. Isto nos leva a acreditar que um Batman terá chegar para salvar este lugar.

O Batman de Robert Pattinson estará numa sequência

Coringa termina com os pais de Bruce Wayne sendo assassinados. Isto certamente cria um Batman neste universo, o que Phoenix e Phillips já indicaram, portanto seria natural que aparecesse numa sequência.

Existem rumores de que The Batman, de Matt Reeves, será ambientado nos anos 90, tornando possível uma conexão do Coringa, já que aparentemente acontece em 1981. Todos os envolvidos já disseram que essa conexão não vai acontecer, mas é certamente uma ideia que está sendo discutida em algum lugar da DC.

Muitos vão argumentar que este Coringa seria muito mais velho que o Batman. Mas o mesmo aconteceu em Batman: O Filme, em que o Coringa era 30 anos mais velho que o Cavaleiro das Trevas, então não seria nada inédito.

Thomas Wayne realmente é o pai de Arthur Fleck

Um dos pontos centrais de Coringa é a paternidade de Arthur Fleck. Em determinado momento, ele lê uma carta em que sua mãe diz que Thomas Wayne é seu próprio pai, algo que ela escondeu para evitar um escândalo. Isto tornaria Batman e Coringa meio-irmãos!

No entanto, mais tarde ouvimos o lado de Thomas da história. Ele conta que sua mãe sempre teve grandes problemas mentais e adotou Arthur. Além disso, é revelado que Penny foi internada no Hospital Arkham, onde foi tratada por delírios e esquizofrenia.

Enquanto alguns podem acreditar que isto prova que Batman e Coringa não são meio-irmãos, não dá para acreditar totalmente na história de Thomas, já que aqui ele não se mostra um bom homem. Este Thomas é implacável e sem coração e seria do seu interesse mentir completamente para Arthur.

Com todo o seu poder, ele poderia até mesmo ter mudado os registros no Arkham. Além disso, Arthur e sua mãe compartilham os mesmos traços psicológicos, portanto seria uma grande coincidência que fossem tão parecidos com ele tendo sido adotado.

De acordo com essa ideia, tanto Arthur quanto sua mãe foram pessoas com problemas mentais que foram enganadas por Thomas Wayne. Nós até vemos uma cartinha amorosa dele para Penny antes da “apresentação” do Coringa no programa de TV!

Este não é o Coringa que conhecemos

Esta teoria diz que Arthur não é o Coringa que conhecemos e nunca será inimigo do Batman. Ele foi apenas o cara que inspirou o verdadeiro Coringa, que por sua vez eventualmente aparecerá para enfrentar o Cavaleiro das Trevas.

Se já assistiu, sabe que existe uma grande revolta com palhaços em Gotham. A ideia dessa teoria é que uma dessas pessoas pode virar o Coringa real dos quadrinhos.

Existem pontos que apoiam essa teoria: em primeiro lugar, este Coringa não é muito perto do que estamos acostumados. Geralmente o Coringa é visto como um louco, mas também é ardiloso e inteligente, enquanto que aqui ele é mais como uma pessoa doente que age por impulsão.

Por exemplo, ele mal escapa da polícia, apenas conseguindo porque uma briga é desencadeada num trem. Além disso, seu plano original no programa de TV era se matar ao vivo, mas ele acaba perdendo o controle e, por impulsão, atira no apresentador. Ele poderia não ser muito bom contra um Batman de verdade.

Talvez Arthur nunca tivesse a intenção de ser o Coringa. Como o diretor diretor disse: “Talvez o personagem de Joaquin tenha inspirado o Coringa. Não dá para saber. Sua última frase é: ‘Você não entenderia.'”

Foi tudo uma alucinação

Existe a possibilidade distinta de que Arthur tenha imaginado todos os eventos de Coringa. Não é como uma daquelas teorias de que “Foi tudo um sonho”, mas realmente é possível porque o personagem teve várias alucinações ao longo de Coringa.

Ele imaginou um encontro adorável com Murray Franklin e depois alucinou todo o seu relacionamento com sua vizinha de maneira doentia. Consequentemente, sua relação com sua mãe também pode ter sido uma invenção de sua imaginação, assim como o tumulto com palhaços.

A teoria diz que o Coringa inventou essa história enquanto estava no Asilo Arkham. Durante o longa, temos cortes frequentes do Coringa encarcerado no manicômio, batendo a cabeça em uma porta. Embora assumamos que isto estivesse no passado, talvez seja o presente. Conhecendo o personagem e suas manias de passados de múltipla escolha, é completamente possível.