Nesta última quinta-feira (9), tivemos a notícia de que Scott Derrickson deixara a direção de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura após diferenças criativas.

Não é a primeira vez que vemos diretores entrando em conflito com a máquina da Marvel Studios, e trazemos aqui outros casos de desavença.

Confira abaixo.


Edgar Wright – Homem-Formiga

Uma das grandes sacanagens na Hollywood contemporânea. O brilhante Edgar Wright desenvolvia Homem-Formiga antes mesmo do MCU estourar com Homem de Ferro, e Kevin Feige até remodelou a cronologia para suportar a aventura estrelada por Paul Rudd. As famosas diferenças criativas apareceram, com Wright afirmando que “eles não queriam fazer um filme de Edgar Wright”. O resultado? Peyton Reed assumiu o lugar, e Wright não assistiu o filme até hoje.

Patty Jenkins – Thor: O Mundo Sombrio

Para a continuação do filme solo do Deus do Trovão, Natalie Portman recomendou a talentosa Patty Jenkins. Sua ideia era fazer um romance épico aos moldes de Romeu e Julieta, mas a Marvel queria a mesma comédia de sempre – o que desagradou Portman. Jenkins saiu ganhando, já que acabou dirigindo Mulher-Maravilha e conquistou mais prestígio. 

Alan Taylor – Thor: O Mundo Sombrio

Mais confusão com Thor: O Mundo Sombrio. Após a saída de Jenkins, Alan Taylor (Game of Thrones) foi chamado para comandar o projeto. Em entrevistas posteriores, o descontentamento de Taylor com o resultado final foi evidente – chegando até mesmo a chamar cena pós créditos (que apresentava o universo dos Guardiões da Galáxia) de “vergonhosa”.

Joss Whedon – Vingadores: Era de Ultron

Uma treta sutil, mas ainda uma treta. Joss  Whedon teve aclamação após o primeiro Vingadores, mas passou sufoco com Era de Ultron. Feige e a Marvel pressionaram Whedon para inserir mais referências e preparo para o futuro do MCU (as Joias do Infinito), enquanto o fizeram descartar diversas ideias. A cena da fazenda do Gavião Arqueiro, por exemplo, quase ficou de fora – e Whedon desistiu de dirigir Guerra Infinita.

James Gunn – Guardiões da Galáxia Vol. 3

A grande novela de bastidores da Marvel Studios. Após uma série de Tweets “ofensivos” de James Gunn ressurgirem online, o diretor foi demitido de Guardiões da Galáxia Vol. 3. O drama durou mais de 1 ano, com Gunn até conseguindo um projeto na DC com Esquadrão Suicida, mas a Marvel voltou atrás e recontratou Gunn.

Lucrecia Martel – Viúva Negra

Na hora de trazer o filme solo da Viúva Negra, a Marvel procurou por uma diretora. Apesar de não conseguir o trabalho, Lucrecia Martel apareceu nas manchetes ao criticar o método de trabalho da Marvel: ela não dirigiria as cenas de ação, que seriam comandadas por outra equipe de filmagem, enquanto ela ficaria responsável apenas pelas cenas mais dramáticas. Praticamente dizendo que uma mulher não seria capaz de comandar sequências do gênero, o que fez Martel recusar a oferta.

Scott Derrickson – Doutor Estranho 2

E temos o mais recente exemplo aqui mesmo. Scott Derrickson deixou a direção de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura após “diferenças criativas”. Quem acompanha as notícias pode deduzir o motivo: vindo do terror, Derrickson queria mostrar um lado mais assustador para o herói, mas meses depois Feige veio a público dizer que o longa “não seria de terror”. Frustrante, e claramente justifica a saída de Derrickson.