Hoje, adaptações de quadrinhos são um dos gêneros mais populares e lucrativos do cinema. Só em 2019, foram lançados 16 filmes baseados em histórias em quadrinhos, e embora venham de várias empresas diferentes, a Marvel está indiscutivelmente liderando o caminho agora, e já há algum tempo.

O MCU é uma das maiores franquias de filmes da história e inspirou a tendência do universo compartilhado em Hollywood. Mesmo antes do MCU e da aquisição pela Disney, a Marvel teve sucesso com a trilogia de Homem-Aranha de Sam Raimi, e enquanto o universo dos X-Men tinha muitos problemas, também teve seus ótimos momentos.

É claro que o caminho para esse tipo de sucesso não foi fácil e houve muitos erros ao longo do caminho. Desde decisões de elenco sem inspiração, até questões de equipe nos bastidores e a completa falta de compreensão de certos personagens por parte do estúdio, a Marvel sempre teve que aprender da maneira mais difícil que o caminho para o sucesso cinematográfico é repleto de perigos.


O afastamento de Edgar Wright

O processo de fazer um filme é longo e incrivelmente caro, e sempre haverá obstáculos para contornar. Alguns projetos encontram mais do que outros, enquanto alguns parecem sofrer problemas em todas as etapas possíveis. Até o poderoso MCU não é imune a isso, pois Homem-Formiga passou anos em desenvolvimento antes de chegar aos cinemas em 2015.

Já em 2006, nove anos antes do lançamento do filme, a Marvel contratou Edgar Wright para escrever e dirigir o filme. Sofrendo atraso após atraso, reescrevendo devido à maneira como o MCU mudou desde o início do projeto e mais do que cansado das mudanças na data de lançamento, o diretor deixou o projeto.

A Marvel finalmente contratou Peyton Reed e, embora os filmes do Homem-Formiga sejam divertidos, ao considerar a franquia contra os outros membros do MCU, certamente não são as melhores produções.

Enquanto James Gunn, Taika Waititi e os irmãos Russo trabalham para tornar os Guardiões da Galáxia, Thor e os Vingadores algumas das franquias mais populares do mundo, os fãs da Marvel ficam pensando no que poderia ter sido se Wright tivesse ficado. Com a paixão que ele claramente tem pelos quadrinhos e pelo personagem, o diretor poderia ter feito do filme algo realmente especial.

O cancelamento do filme dos Inumanos

Quem sabe com quanto tempo de antecedência a Marvel planejou o MCU? Embora exista um plano maior, com filmes e programas sendo anunciados anos antes, sempre haverá ajustes e mudanças. Quando a Fase 3 foi anunciada pela primeira vez, um filme de Inumanos estava agendado para novembro de 2018.

Como uma das quatro novas propriedades lançadas como parte da Fase, juntamente com Doutor Estranho, Pantera Negra e Capitã Marvel, havia muita emoção e intriga em torno do Raio Negro e dos Inumanos, e como o MCU estaria aumentando seu alcance nos cantos cósmicos dos mitos da Marvel.

Embora não seja a família real em que o filme seria baseado, a raça alienígena logo depois estreou em Agents of SHIELD, e Vin Diesel foi supostamente ligado ao projeto para interpretar Raio Negro.

Depois de ser adiado várias vezes, no entanto, o filme acabou sendo cancelado por completo. O que tivemos foi possivelmente a pior coisa do MCU, a série dos Inumanos na ABC, cancelado após apenas uma temporada.

Em vez de um filme incrível mergulhando nas profundezas do folclore Inumano e além, potencialmente trazendo seres mais poderosos para a luta contra Thanos, a Marvel deu ao mundo um programa fracassado.

A nuvem de Galactus

Reed, Sue, Johnny e Ben formam a primeira família da Marvel, e uma das propriedades mais populares que os quadrinhos têm a oferecer. Mas apenas na página, no entanto. Quando adaptados para o cinema, o Quarteto Fantástico simplesmente não fez justiça às suas versões de quadrinhos.

Com dois filmes medíocres em 2005 e 2007, e uma tentativa de reinicialização que abordaremos mais adiante, há muitas razões pelas quais os longas simplesmente não funcionaram. Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, no entanto, cometeu um crime contra quadrinhos que é simplesmente imperdoável.

Após uma iteração chocante e ruim de Doutor Destino em 2005, o Surfista Prateado veio como o arauto de Galactus – um dos maiores vilões que a Marvel já colocou nos quadrinhos. O alienígena pesado, comedor de planetas, do tamanho de um arranha-céu, seria algo incrível de se ver no cinema, mas, em vez disso, temos… uma nuvem.

Fundamentalmente, isso fez tudo de errado com o personagem. Galactus poderia ter sido um monstro aterrorizante e inspirador, com a complexidade oculta de que não há malícia na destruição de mundos, mas simplesmente sobrevivência. É muito mais difícil transmitir isso com uma nuvem.

Deadpool em X-Men Origens: Wolverine

É amplamente aceito que a primeira iteração de Deadpool em X-Men Origens: Wolverine é uma das piores adaptações de um personagem no Universo Marvel. A introdução do filme de Wade Wilson parecia promissora, com sua personalidade esperta, crua e sutil, presente e correta. No entanto, piorou rapidamente a partir daí.

Primeiro de tudo, eles não usaram o traje icônico de Deadpool. Uma roupa criada para cobrir sua aparência física brutal, infligida a ele através da experimentação. Ao remover sua boca em sua forma final no filme, ele passou do Mercenário Tagarela para apenas um cara sem personalidade.

Em comparação, eles deram a ele uma carga de poderes aleatórios que foram completamente desassociados do personagem tanto que, no final, ele quase não se parecia com Deadpool e podia muito bem ter sido um novo personagem criado apenas para o filme.

Embora se note que os diretores gostam de colocar uma abordagem diferente sobre os personagens para torná-los próprios, isso pareceu um passo muito longe do material original. Embora Deadpool 2 tenha corrigido isso em uma cena pós-créditos, ainda deixa um gosto ruim na boca dos fãs de quadrinhos em todos os lugares.

Mads Mikkelsen como Kaecilius

Na maioria das vezes, a Marvel tem um forte histórico de decisões de elenco. Existem ótimas opções como Robert Downey Jr. como Homem de Ferro, Chris Evans como Capitão América e Scarlett Johansson como Viúva Negra.

No entanto, existem algumas decisões de elenco que não foram tão inspiradas. Topher Grace e Terrance Howard, para citar apenas alguns. Tudo isso falhou por diferentes motivos, mas possivelmente o mais frustrante de todos foi Mads Mikkelsen.

O ator de Hannibal retratou o vilão Kaecilius em Doutor Estranho, e enquanto o personagem não se destacou exatamente, Mikkelsen fez o que pôde com o material à sua disposição. O problema aqui não é que ele era ruim, mas que estava perdido.

Mads Mikkelsen é um ator incrivelmente talentoso, mas foi usado de uma maneira medíocre. Basta pensar, após a fusão de Disney e Fox, quem no mundo seria melhor para trazer Doutor Destino à vida no MCU? Mikkelsen teria sido perfeito.

O Homem de Ferro nunca conheceu o Mandarim

Embora alguns super-heróis tenham literalmente páginas e páginas de vilões em sua galeria de inimigos, sempre há uma que fica acima do resto. O Capitão América tem o Caveira Vermelha, o Homem-Aranha tem o Duende Verde e o Quarteto Fantástico tem o Doutor Destino. Da mesma forma, o arqui-inimigo do Homem de Ferro dos quadrinhos é o Mandarim.

Durante a construção de Homem de Ferro 3, a empolgação estava no teto para ver Tony Stark brigando com o vilão de Ben Kingsley, mas não foi isso que conseguimos. Em vez disso, Kingsley interpretou o ator bêbado, Trevor Slattery.

Isso por si só não é a pior coisa do mundo, pois era algo diferente e genuinamente surpreendente. Foi uma pena que não fosse o confronto que todos queriam ver. Apenas um ano depois, em All Hail The King, foi revelado que o Mandarim e os Dez Anéis existiam no MCU, e ainda havia esperança na tão esperada reunião.

Infelizmente, porém, Tony Stark estalou os dedos e faleceu antes de ter a chance de ficar cara a cara com seu maior inimigo. Imagine se Capitão América nunca tivesse enfrentado o Caveira Vermelha! Embora seja ótimo que o vilão seja explorado em Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis em 2021, é uma pena que Tony Stark não seja o único a enfrentá-lo.

Defensores ignorados

Embora a maior parte do MCU sejam os 23 filmes que compõem a Saga do Infinito, é claro que há o aspecto da TV. Agents of SHIELD, Agent Carter, Os Fugitivos, Manto e Adaga, Inumanos, as séries da Netflix e os próximos programas do Disney+ estão num canto do MCU.

Embora muitas vezes houvesse referências nos filmes, isso não era correspondido e os crossovers eram mínimos. Apesar da Marvel trabalhar duro na construção de um universo compartilhado da Netflix com Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro, O Justiceiro e Os Defensores, todos os programas foram cancelados sem nenhum crossover com os filmes.

Possivelmente a coisa mais decepcionante é que houve oportunidades mais que suficientes ao longo dos anos. Por um lado, os filmes acontecem em Nova York. Doutor Estranho e Homem-Aranha passaram grande parte de suas estreias na icônica cidade, e até Thor passou algum tempo lá em Thor: Ragnarok. Teria sido tão difícil ao menos fazer referência aos Defensores?

A maior oportunidade teria sido absolutamente na Guerra Civil. Tony encontrou seu mais novo membro da equipe correndo por Nova York como vigilante, e por mais que fosse a introdução perfeita do MCU para Peter Parker, ele poderia pelo menos ter olhado para o Demolidor ou o Luke Cage para obter ajuda de um personagem já estabelecido.

Quando Doutor Estranho reuniu todos os heróis do MCU em Vingadores: Ultimato, parecia que os Defensores realmente deveriam estar lá.

Tudo sobre Quarteto Fantástico de 2015

Reiniciar pode ser uma ideia complicada de navegar, e realizar um reboot pode ser incrivelmente difícil. Esses filmes podem se sair muito bem, como o Homem-Aranha de Tom Holland entrando no MCU, ou podem ser absolutamente odiados, como Hellboy, de David Harbour.

Massacrado por crítica e público, sem falar no enorme prejuízo que gerou, Quarteto Fantástico, de 2015, certamente foi uma das piores reinicializações da história.

Com Miles Teller, Kate Mara, Michael B. Jordan e Jamie Bell envolvidos, o elenco não foi um problema, era apenas todo o resto. O filme foi sem graça, sombrio e depressivo, e honestamente bem chato. Josh Trank alegou que teria tido mais sucesso se tivesse sido autorizado pelo estúdio a fazer o filme do Quarteto Fantástico que ele realmente queria fazer, o que não conseguiu nada além de destacar os problemas nos bastidores da produção.

No entanto, como a sequência pré-planejada foi rapidamente descartada, e com os direitos voltando para a Marvel, o mais longe possível de Trank e Fox, nunca saberemos o que teria acontecido. Não há muitas pessoas que olham para trás e não desejam que isso não tenha acontecido.

Demissão de James Gunn

Anteriormente conhecidos apenas pelos fãs mais fanáticos de quadrinhos, os Guardiões da Galáxia se tornaram uma das propriedades mais populares em todo o gênero de filmes de super-heróis desde 2014, e em grande parte graças a James Gunn.

O diretor trouxe para a franquia um estilo único. Gunn não apenas foi fundamental na criação de uma das franquias mais populares do MCU, mas também foi produtor executivo de Vingadores: Guerra Infinita e Ultimato.

Quando ele foi demitido pela Disney em 2018, todo mundo entrou em pânico. Vários tuítes desagradáveis ​​desenterrados do passado do diretor levaram ao término de seu contrato, deixando os fãs em frenesi. Seu elenco não apenas o defendeu, mas Dave Bautista ameaçou deixar completamente qualquer sequência potencial de Guardiões da Galáxia, a menos que Gunn fosse contratado novamente.

Logo se tornou a pergunta não quem substituiria James Gunn, mas o que substituiria Guardiões da Galáxia? A DC ligou para o diretor e literalmente lhe ofereceu um emprego em qualquer propriedade que desejasse.

Felizmente, Disney e Marvel logo viram o erro de seus caminhos, e Gunn foi contratado de novo. Felizmente, Guardiões da Galáxia 3 agora definitivamente está acontecendo, mesmo que tenhamos que esperar até depois do novo Esquadrão Suicida para ver.

A venda das maiores propriedades

Lembra quando o trailer de Guerra Civil quebrou a internet? Confirmou que o Homem-Aranha finalmente estava chegando ao MCU e o mundo enlouqueceu. E as notícias da fusão entre Disney e Fox, depois de todos esses anos colocando os X-Men e o Quarteto Fantástico sob o guarda-chuva da Marvel?

Houve comemorações quando cada uma dessas propriedades voltou para a Marvel da Sony e da Fox, mas imagine se elas nunca saíssem em primeiro lugar.

Ao longo dos anos 90, a Marvel lutava para se manter à tona e recorreu à venda dos direitos de vários personagens e propriedades importantes, a fim de ganhar dinheiro rapidamente. Para ser justo, isso obviamente ajudou a empresa em uma situação difícil.

Naquela época, a Marvel não fazia ideia do tamanho do MCU e do quanto o fato de haver filmes em universos separados significaria para seus fãs. Se a Marvel pudesse ter mantido esses direitos todos esses anos atrás, Hulk poderia ter lutado com o Wolverine de Hugh Jackman, não haveria necessidade de dois Mercúrios diferentes, e poderíamos ter algo incrível como Vingadores contra X-Men, em vez de A Era de Ultron.