A franquia John Wick valoriza o melhor amigo do homem. Ao longo dos três filmes, cachorros sempre aparecem de alguma forma na jornada do personagem de Keanu Reeves, seja para motiva-lo a buscar vingança, ou ajudar em combates.

O site ScreenRant listou algumas curiosidades sobre os cachorros de John Wick que você nem imaginava.


O cachorro de John Wick quase sobreviveu

No início, a ideia dos criadores de John Wick era deixar Daisy, a cadelinha de John Wick, viva ao longo da série de filmes, mas no fim das contas, o animal acabou servindo de motivação para que o protagonista fosse atrás de vingança.

Por sinal, Daisy, a beagle, foi interpretada por um cachorro ator chamado Andy, de 8 meses de idade. O cão foi adquirido especialmente para o filme por um criador de cães.

Os pitbulls

Depois de perder Daisy, John Wick adota um pitbull – que ainda não tem nome. Esse pitbull foi interpretado por dois cães diferentes, um chamado Burton e outro chamado Cha Cha.

Esperamos que o pitbull de John Wick ganhe um nome ao final dessa franquia.

Cães versus cavalos

Trabalhar com animais é sempre difícil e o set de John Wick teve um gostinho disso. Cha Cha, que interpreta o pitbull do protagonista, acabou arrumando uma grande briga com um cavalo durante as filmagens do terceiro filme da franquia. Felizmente, ninguém se machucou.

Os pastores belgas

Em John Wick 3, o protagonista busca a ajuda de Sofia Al-Alwar, personagem que sempre anda acompanhada de seus dois cães da raça pastor belga.

Esses cães foram interpretados por cinco animais diferentes, justamente para que eles não fossem utilizados até a exaustão nas cenas do filme.

Halle Berry, que interpretou Sofia Al-Alwar, nem precisou de um treinador de cães para trabalhar e John Wick. A atriz se dedicou a passar um tempo com os cinco animais, justamente para que eles se acostumassem com ela.

Gatos no set

Durante as filmagens de John Wick 3, Halle Berry teve problema com seus cães. Em uma cena gravada em Marrocos, os cachorros ficaram furiosos ao encontrar gatos de rua, que estavam perto do set do filme.

Cães reais

Cenas de ação práticas são uma das marcas registradas de John Wick e segundo o diretor Chad Stahelski, trabalhar com animais de verdade é bem complicado e bem diferente do trabalho com cães de computação gráfica.

“Quando um cão ataca, ele está tentando machucar uma pessoa de verdade”, disse o diretor ao podcast ReelBlend.

Bacon

Andy, o animal que interpretou Daisy no primeiro John Wick, não era o animal mais adestrado de todos – afinal, ele tinha apenas 8 meses – o que obrigava a produção do filme a criar técnicas para que o animal obedecesse.

Por isso, na cena em que Daisy acorda John Wick, os produtores tiveram que passar bacon na cara de Keanu Reeves para atrair o animal. Andy se deu bem no fim das contas…