Em um raro movimento de transparência, a Netflix lançou uma lista de filmes e séries que foram completamente banidos de sua plataforma nos últimos cinco anos (via Variety).

A lista inclui nove projetos, desde o episódio muito divulgado de Patriot Act with Hasan Minhaj, que foi removido na Arábia Saudita, até o épico de guerra de Stanley Kubrick, Nascido para Matar, sendo retirado da Netflix no Vietnã.

A Netflix diz que esses nove filmes e programas foram as únicas vezes em que removeu conteúdo por causa das demandas de censura do governo desde que começou a transmitir em 2007.


Especial de Natal: Se Beber, Não Ceie

Especial de Natal: Se Beber, Não Ceie, um especial original da Netflix da Porta dos Fundos do Brasil, no qual os discípulos de Jesus acordam depois de uma festa da Última Ceia, foi banido em Cingapura após uma solicitação por escrito da Autoridade de Desenvolvimento de Mídia de Infocomm de Cingapura.

Patriot Act with Hasan Minhaj (Arábia Saudita)

Um episódio de Patriot Act with Hasan Minhaj (chamado Arábia Saudita) foi removido na Arábia Saudita após uma solicitação por escrito da Comissão Saudita de Comunicação e Tecnologia da Informação.

A Última Tentação de Cristo

A Última Tentação de Cristo, de Martin Scorsese, que foi banido em Cingapura, foi removido do país após solicitação por escrito da Autoridade de Desenvolvimento de Mídia de Infocomm de Cingapura.

Cozinhando em 4:20, The Legend of 420 e Disjointed

As séries Cozinhando em 4:20, The Legend of 420 e Disjointed foram removidas em Cingapura após demanda da Autoridade de Desenvolvimento de Mídia de Infocomm de Cingapura.

Nascido Para Matar

Nascido Para Matar foi removido no Vietnã após uma solicitação por escrito da Autoridade Vietnamita de Transmissão e Informações Eletrônicas.

A Noite dos Mortos-Vivos

A Noite dos Mortos-Vivos, banido na Alemanha, foi removido do país após uma solicitação por escrito da Comissão Alemã de Proteção à Juventude.

The Bridge

The Bridge, um documentário sobre tentativas de suicídio na ponte Golden Gate de São Francisco, classificado como “censurado” na Nova Zelândia, foi removido do país após uma solicitação por escrito do Órgão de Rotulagem de filmes e vídeos da Nova Zelândia.