ALERTA DE SPOILERS

La Casa de Papel continua desenvolvendo o tenso assalto ao Banco da Espanha. Na Parte 4, apesar de toda tragédia, os bandidos terminaram em um cenário mais otimista.

Porém, o assalto poderia estar num rumo bem melhor. No grupo, há aqueles que estão trazendo mais problemas ou não fazendo nada de destaque, no lugar de ajudar.

Por isso, é justo apresentar abaixo a lista dos piores assaltantes da Parte 4 de La Casa de Papel. Todos deixaram a desejar e apenas atrasaram o plano do Professor (Alvaro Morte).


Vale lembrar que Tóquio (Úrsula Corberó) não está na lista. Por mais que tenha errado bastante antes, a personagem foi crucial na Parte 4. Ela fez uma operação de sucesso em Nairóbi, deixou Gandía desacordado mesmo estando presa e ainda evitou que a polícia matasse os companheiros durante o plano de resgate a Lisboa (Itziar Ituño).

5 – Matías

O personagem do ator Ahikar Azcona tem pouco tempo de tela. Porém, aparece com uma atuação de menor nível em comparação ao restante do grupo.

Matías, além de trabalhar com os mineradores, deveria ajudar na segurança. O assaltante some durante a fuga de Gandía (José Manuel Poga) e não consegue controlar os reféns.

Além de não ver que Arturo (Enrique Arce) consegue um celular e faz uma ligação para as autoridades, Matías ainda é desarmado pelo refém. Sorte a dele que Manila (Belén Cuesta) estava preparada e conteve qualquer reação.

4 – Rio

Rio (Miguel Herrán) estava traumatizado por ter sido torturado – algo grave. Porém, em nenhum momento o assaltante alerta os companheiros sobre o fato. Além disso, não contou tudo que aconteceu ao Professor.

Quando Gandía consegue escapar, Rio não consegue atirar – mas também não chama ajuda. Além disso, deixou o relacionamento com Tóquio atrapalhar o assalto.

No restante da temporada, não teve qualquer atitude de destaque.

3 – Monica/Estocolmo

Monica (Esther Acebo) teve uma participação maior do que na Parte 3. Porém, não quer dizer que Estocolmo tenha sido realmente melhor.

Primeiro, Monica parte para o mesmo caminho de Rio. Deixa o relacionamento com Denver (Jaime Lorente) interferir no roubo – chegando a terminar com ele no meio do assalto.

Ao mesmo tempo, passa a apoiar Rio, sem contar para os companheiros o que realmente estava acontecendo. Por fim, não matou Gandía quando teve a chance – a assaltante pega o segurança pelas costas, mas não atira para acabar com a ameaça.

Para estar no assalto do Banco da Espanha, Estocolmo deveria ter se preparado melhor.

2 – Denver

Denver se tornou um dos personagens preferidos dos fãs nas duas primeiras partes. Porém, desde a Parte 3, está preso em uma trama de um homem ciumento e que quer controlar Estocolmo (o que justifica a ação dela – em hora errada, porém).

A melhor ação dele na Parte 4, quem sabe, foi ter dado uma surra em Arturo. Fora esse fato, Denver apenas brigou com Monica, comparou Tóquio a uma Maserati e ficou com ciúmes ao imaginar que Rio estava com Estocolmo.

Para o roubo, não trouxe nada que ajudasse os companheiros a seguir com o plano.

Denver também falhou na missão de tentar salvar Nairóbi (Alba Flores) – ele e Rio poderiam ter conseguido surpreender Gandía, mas fizeram muito barulho e deixaram o segurança perceber a aproximação deles.

1 – Palermo

Palermo (Rodrigo de la Serna) aparece na Parte 3 como um assaltante inteligente e líder do plano. Porém, a 4ª temporada mostra um personagem egocêntrico e descontrolado.

Palermo não queria ter ninguém com ele na liderança, o que o faz ter péssimas ações quando Tóquio ajuda a comandar o grupo.

A primeira foi ter tentado fugir, plantando bombas na frente dos reféns. Depois, quando foi preso pelos companheiros, ajudou Gandía a escapar – o que faz Palermo ser culpado indiretamente pela morte de Nairóbi.

Quando o assalto acabar, os bandidos prometem punir Palermo. Assim, ele é o pior assaltante da Parte 4 de La Casa de Papel.

As quatro temporadas de La Casa de Papel estão disponíveis na Netflix.