A Netflix está aproveitando o período da quarentena para lançar vários filmes aguardados pelo público. A estreia mais recente foi a de Power, thriller de ação com Jamie Foxx, Joseph Gordon-Levitt e Rodrigo Santoro.

Power acompanha a história de um policial e um ex-soldado em uma jornada pela fonte por trás de uma perigosa pílula que oferece a pessoas normais poderes especiais temporários.

O filme foi elogiado por sua história criativa e sequências de ação, além de performances incríveis dos protagonistas. Desde sua estreia, Power se mantém entre os filmes mais assistidos da Netflix.


Confira abaixo 5 detalhes interessantes sobre Power!

A história de Henrietta Lacks

Ao conversar com Art, a maligna pesquisadora Gardner compara a filha do protagonista com uma mulher chamada Henrietta Lacks. Muita gente não sabe, mas essa mulher existiu de verdade e contribuiu de maneira importante (e controversa) para a medicina moderna.

Em 1951, a afro-americana Henrietta visitou um dos únicos hospitais que atendia pessoas negras, com queixas de dores no útero. Lacks foi diagnosticada com câncer cervical, e em meio ao tratamento, um médico tirou uma amostra de suas células para mostrar aos colegas. Todas as outras amostras morreram rapidamente, mas as células de Lacks apresentaram enorme resistência e crescimento, o que as tornou perfeitas para experimentos médicos.

Cientistas conseguiram criar uma produção massiva dessas células, que foram batizadas como “HeLa” e usadas no desenvolvimento de vacinas, tratamentos para doenças, fertilizações em vitro e outros desenvolvimentos médicos importantes. No entanto, as células foram tiradas sem a permissão de Henrietta, que não recebeu nem um centavo por sua contribuição para a ciência.

Em outras palavras, é uma história complicada com um incômodo componente racial, o que a faz um paralelo perfeito para Power, um filme cujo tema é a realização de experimentos médicos anti-éticos em pessoas em situação de vulnerabilidade.

Você percebeu?

No início de Power, um traficante chamado Newt é quem fornece as pílulas para Robin, a personagem vivida por Dominique Fishback. Poucos minutos depois, Newt batalha com Jamie Foxx usando poderes especiais – a pílula dos super poderes o transforma em uma espécie de Tocha-Humana.

Embora apareça com o nome de Colson Baker nos créditos, Newt é interpretado pelo aclamado rapper e cantor Machine Gun Kelly. Mais conhecido por sua carreira musical, Kelly conta também com uma promissora trajetória no cinema.

Machine Gun Kelly fez sua estreia no drama romântico Nos Bastidores da Fama, lançado em 2014. Ele também apareceu em filmes da Netflix como Bird Box e The Dirt, no qual interpreta Tommy Lee, o baterista da banda Mötley Crue.

Parque abandonado

Quando Power introduz a história de Robin, a jovem aparece vendendo drogas em um parque de diversões abandonado e destruído. É uma locação impressionante, principalmente pela iluminação sinistra criada pelo diretor de fotografia Michael Simmond. Surpreendentemente, o cenário não é um set de filmagens, e existe na vida real.

A locação é na verdade um parque Six Flags, destruído pelo furacão Katrina. O parque foi inaugurado em 2000 com o nome de Jazzland, sendo vendido à marca Six Flags dois anos depois.

Em 2005, o estado americano de New Orleans foi atingido pelo furacão Katrina. 80% do parque foi destruído, mas a estrutura ainda permanece em pé, sendo usada para ensaios fotográficos e gravações de filmes.

Teleos

A partir da metade do filme, o Major revela que a companhia que produz a droga Power tem nome de “Teleos”. A palavra é um termo grego que significa “completo”. Como a intenção da empresa é destravar todo o potencial do genoma humano, o título foi uma ótima escolha.

“Teleos”, vem da palavra “telos”, que se refere ao objetivo final da filosofia de Aristóteles. De acordo como o pensador grego, todo objeto possui um telos, um objetivo, uma razão de existir.

 O telos de uma faca, por exemplo, é cortar. O de uma cadeira é permitir o descanso. Criaturas vivas também têm telos: viver e se reproduzir, além de objetivos mais individuais.

Habilidades animais

Durante a grande apresentação da droga Power, é revelado que os poderes oferecidos pela pílula são inspirados em habilidades que animais apresentam na natureza. Poderes de cura, por exemplo, vêm dos lagartos. A camuflagem é uma característica dos polvos, e até poderes mais fantásticos, como o da criação de calor e frio, vêm de animais que consegue se termoregular.

A montagem revela a origem de cada poder mostrado no filme, incluindo alguns que nem chegaram a aparecer. O filme cita também o “sapo Wolverine”, um anfíbio que quebra os próprios ossos para criar garras. Muita gente achou que a referência vinha da Marvel, mas o animal existe na vida real.

Power já está disponível na Netflix.