O maior erro de Velozes e Furiosos é revelado

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A maioria das maiores franquias de hoje depende da familiaridade do público com seu material original, como Star Wars ou Marvel, mas Vin Diesel conseguiu fazer da série Velozes e Furiosos, de ação, uma espécie de franquia de super-heróis apenas com seu poder como astro.

A ascensão sem precedentes da franquia de um Caçadores de Emoção no meio da estrada para uma das maiores potências da indústria cinematográfica é curiosa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não é justo usar o rótulo de “tão ruim que é bom” para filmes de Velozes e Furiosos, porque eles têm muitos méritos genuínos. Mas, ao mesmo tempo, eles também não são obras-primas por nenhum esforço da imaginação.

Uso excessivo de CGI

Se os sucessos de John Wick e Mad Max: Estrada da Fúria provaram alguma coisa, é que a ação cinematográfica é muito mais eficaz quando as acrobacias são feitas de verdade e as câmeras estão simplesmente lá para capturá-las no filme.

Em Velozes e Furiosos e em muitos outros filmes de ação de grande orçamento recentes, todas as acrobacias impressionantes são feitas usando efeitos gerados por computador e tira todo o peso da ação.

CGI deve ser usado para limpar as bordas das sequências de ação, não para criá-las. Os filmes de Velozes e Furiosos têm feito algumas grandes acrobacias na prática, como a sequência de paraquedismo de carro de Velozes e Furiosos 7, mas a franquia tem muito mais ação em CGI do que ação prática.

Frágil narrativa

Embora os temas da família sejam sempre importantes nos filmes de Velozes e Furiosos, o enredo geralmente é frágil. Ninguém vem a esses filmes pelo enredo, mas a narrativa poderia pelo menos ser coerente.

A maioria dos filmes pós-Velozes e Furiosos 5 girou em torno de uma busca desajeitada para recuperar um “MacGuffin” que é prejudicada por uma abundância de subtramas desnecessárias de ameaça global ao longo do caminho.

Cronologia bagunçada

A cronologia dos filmes de Velozes e Furiosos é bagunçada porque Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio – que é basicamente um derivado com pouca conexão com a saga principal – realmente confundiu toda a linha do tempo.

Do jeito que está, a ordem cronológica dos filmes é a seguinte: 1, 2, 4, 5, 6, 3, 7, 8. É muito mais difícil seguir o enredo abrangente dos filmes de Velozes e Furiosos do que nas linhas do tempo narrativas mais claramente definidas do MCU e da saga Star Wars.

Personagens femininas de lado

Vin Diesel fala muito nas redes sociais sobre defender mulheres fortes, mas as personagens femininas dos filmes de Velozes e Furiosos costumam ser deixadas de lado. Letty estava falsamente morta há anos e Mia fica sempre segurando o bebê.

Felizmente, os criadores da franquia parecem ter reconhecido essa lacuna e estão tratando disso com um derivado liderado por mulheres, roteirizado por Nicole Perlman, Lindsey Beer e Geneva Robertson-Dworet.

Franquia derivativa

O primeiro filme Velozes e Furiosos foi uma cópia mal disfarçada de Caçadores de Emoção. Em vez da história de um agente do FBI disfarçado em uma gangue de surfistas, Velozes e Furiosos é sobre um agente do FBI disfarçado em uma gangue de pilotos de rua.

Em ambos os casos, o líder da gangue e o agente secreto acabam desenvolvendo uma amizade tão forte que transcende a lei e a ordem. Velozes e Furiosos acabou se tornando uma coisa só, mas a base da franquia é completamente derivativa.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio