Mais do que você gosta.

Publicidade

Referências

The Witcher: 5 momentos que escondem revelações na Netflix

História estrelada por Henry Cavill também é contada pelos detalhes no streaming

Publicado por Bruno Tomé

22/12/2021 21:00

Alerta de spoilers

Na segunda temporada, The Witcher volta a trazer referências dos livros na Netflix. Porém, algumas revelações importantes estão escondidas em momentos que muitos fãs não notam.

Na série estrelada por Henry Cavill, indicativos grandes da trama são deixados em alguns diálogos. Pelos livros de The Witcher, os espectadores podem saber que há mais sobre história a partir desses momentos.

Continua depois da publicidade

No segundo ano, cinco diálogos se destacaram. Um deles, inclusive, traz qual deve ser a grande ameaça de The Witcher a partir da terceira temporada na Netflix.

Confira abaixo os cinco momentos que escondem grandes revelações em The Witcher.

Kaer Morhen tem uma grande história

No primeiro episódio da segunda temporada, Geralt diz para Ciri que ninguém sabe onde fica Kaer Morhen porque “houve um ataque e todos nós quase fomos mortos, então gostamos de ser discretos”.

O ataque é contado no filme de anime, que faz parte do universo da série, The Witcher: Lenda do Lobo. O longa segue Vesemir, o único bruxo veterano que sobrevive a um ataque do Continente contra Kaer Morhen.

A guerra acontece quando uma feiticeira chamada Tera, que odeia os bruxos, cria uma armadilha para que os reinos também queiram o fim do grupo. Isso acontece e o evento fica conhecido como a queda de Kaer Morhen, com apenas Vesemir e as crianças, entre elas Geralt, sobrevivendo.

A dor vista no outro

Em outro diálogo com Ciri, o personagem de Henry Cavill conta que a avó dela, a Rainha Calanthe, não queria a Princesa Pavetta casada com um “forasteiro”. A frase esconde o sentimento que faz o bruxo ajudar Duny.

Geralt se sente da mesma forma que o Duny, que sofreu com uma maldição e ganha aparência animal durante o dia. No Continente, os bruxos são tratados praticamente do mesmo jeito, o que explica muito o fato da boa relação do protagonista de The Witcher com o pai de Ciri – ao menos na noite do casamento.

Geralt se torna um pai em The Witcher

No fim da segunda temporada, Geralt de Rívia se sente o pai de Ciri, como os espectadores notam. Mas, a construção vem desde o início do arco, principalmente após o bruxo matar Eskel, deixando Vesemir desolado.

O mentor de Geralt diz que, “Se fosse seu filho, você estaria louco para descobrir o que aconteceu. O que você perdeu. O que você poderia ter feito diferente”.

Na hora, o bruxo não entende completamente a frase e acha que agiu certo em matar o colega transformado. Mas, quando Ciri é raptada, Geralt sente o que Vesemir realmente quis dizer.

Stregobor é o pior de todos

Mais do que nunca, Stregobor mostra que é um dos piores vilões de The Witcher. Na primeira temporada não parecia que o controverso mago tinha tanto poder político para causar problemas no Continente.

Um dos piores traços do mago é o ódio que ele tem por mulheres. Ele foi o responsável por ordenar a morte de Renfri, sendo que a desculpa era o fato de ela ser parte de um grupo que nasceu em um eclipse lunar.

No segundo ano, Stregobor tenta acabar com Yennefer por esse ódio por mulheres e pelo fato dela ter descendência elfa. O pior é a desculpa que ele usa, vista na fala que o mago “sempre tentou defender as instituições”.

A Caçada Selvagem está chegando em The Witcher

No episódio final da segunda temporada, Geralt, Ciri e Yennefer vão parar em outro mundo. Por lá, eles se deparam com os Espectros de Mörhogg.

Geralt sabe que esses são os cavaleiros da Caçada Selvagem (ou Perseguição Selvagem). Eles sentem o poder de Ciri e também querem capturar a princesa. Nos livros e nos games, esse grupo é o grande inimigo de Geralt.

Estrelada por Henry Cavill, The Witcher tem duas temporadas na Netflix.

Publicidade