Mais do que você gosta.

Publicidade

Luta e resistência

7 filmes para assistir no Dia do Orgulho LGBTQIA+

Comemore a data especial com produções da Netflix, Prime Video e HBO Max

Publicado por Alexandre Guglielmelli

28/06/2022 17:13

Uma das melhores maneiras de comemorar o Dia Mundial do Orgulho LGBTQIA+, celebrado em 28 de junho, é assistir histórias de diversidade, amor, paixão e luta. Plataformas como a Netflix, Prime Video e HBO Max contam com filmes perfeitos para celebrar a data e aquecer o coração.

O Dia do Orgulho LGBTQIA+ representa o momento mais importante do Mês do Orgulho (Pride Month), celebrado sempre em junho. Além de celebrar a diversidade, a data também é perfeita para protestar contra a homofobia, a transfobia e a intolerância da sociedade.

Continua depois da publicidade

Criado nos Estados Unidos, o Mês do Orgulho também marca o aniversário da Rebelião de Stonewall – um evento extremamente importante que aconteceu em Nova York em junho de 1969, e serviu como estopim para a emancipação LGBTQIA+.

Listamos abaixo os 7 melhores filmes para assistir no Dia do Orgulho LGBTQIA+ e comemorar essa data tão especial.

Uma Mulher Fantástica – Netflix

Na Netflix, um dos melhores filmes LGBTQIA+ é, sem sombra de dúvidas, Uma Mulher Fantástica. Sucesso de público e crítica, o longa chileno ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2018. Dirigido por Sebastián Lelio, o filme é ancorado por uma poderosa performance de Daniela Vega (Tales of the City).

Uma Mulher Fantástica acompanha a história de Marina, uma mulher que passa a ser vítima da desconfiança e do preconceito de sua comunidade após a súbita morte de seu namorado. Por sua performance, Daniela Vega foi aclamada pela crítica especializada. A atriz também entrou para a história como a primeira mulher trans a apresentar uma categoria do Oscar.

Moonlight: Sob a Luz do Luar – Prime Video

Lançado em 2016, Moonlight: Sob a Luz do Luar é uma produção de Barry Jenkins (The Underground Railroad), baseada na pela semiautobiográfica de Tarell Alvin McCraney. Em sua estreia, o longa recebeu “aclamação universal”, vencendo os prêmios mais importantes da indústria do entretenimento – incluindo o Oscar de Melhor Filme.

Moonlight conta a história de Chiron, um jovem negro que lida com sua sexualidade e com a intolerância da sociedade em três períodos diferentes: infância, adolescência e vida adulta. Cheio de emoção, o longa conta com Alex Hibbert (Pantera Negra), Ashton Sanders (Judas e o Messias Negro) e Trevante Rhodes (Westworld) como as três versões do protagonista.

The Normal Heart – HBO Max

No HBO Max, The Normal Heart aborda um dos períodos mais dolorosos da história LGBTQIA+: a crise da AIDS nos anos 80. Produzido por Ryan Murphy (American Horror Story), o longa é baseado na peça homônima, escrita por Larry Kramer. Extremamente trágico e emocionante, o filme arranca lágrimas até mesmo dos espectadores mais durões.

Ambientado em Nova York, entre 1981 e 1984, The Normal Heart é contado sob a perspectiva de Ned Weeks, o fundador de um grupo de defesa às pessoas com HIV. A partir daí, o longa discute o preconceito da sociedade, o descaso do governo Reagan e as diferenças de opinião entre os ativistas da causa LGBTQIA+. O elenco do longa conta com Mark Ruffalo (Vingadores), Matt Bomer (American Horror Story), Julia Roberts (Uma Linda Mulher) e outros astros.

Elisa e Marcela – Netflix

Famoso por sua estética inconfundível, Elisa e Marcela traz uma verdadeira viagem no tempo para a Netflix. Inspirado em uma história real, o drama romântico é uma produção da cineasta catalã Isabel Coixet (Elegia). Sensível, emocionante e sensual, o filme traz Natalia de Molina (Living is Easy with Eyes Closed) e Greta Fernández (A Filha do Ladrão) como as protagonistas titulares.

A trama de Elisa e Marcela acompanha a trajetória real de Elisa Sánchez Loriga e Marcela Garcia Ibeas, duas mulheres que vivem uma grande história de amor na Espanha de 1901. Para se casar com a amada, Elisa adota uma identidade masculina e engana os moradores da pacata província de Coruña.

Milk: A Voz da Igualdade – Prime Video

Disponível no catálogo brasileiro do Prime Video, Milk: A Voz da Igualdade acompanha uma trágica e emocionante história real. Lançado em 2008, o filme traz Sean Penn (Gaslit) como Harvey Milk, um ativista LGBTQIA+ que entrou para a história como o primeiro político assumidamente gay a ser eleito para um cargo público na Califórnia.

Escrito por Dustin Lance Black (Under the Banner of Heaven) e dirigido por Gus Van Sant (Garotos de Programa), o longa acompanha toda a trajetória de Milk, desde sua chegada a São Francisco até seu revoltante assassinato – motivado pela homofobia de um rival político. Além de Sean Penn, o elenco de Milk conta com Josh Brolin (Vingadores: Ultimato) e Emile Hirsch (Era Uma Vez em Hollywood).

Transhood – HBO Max

O documentário Transhood é essencial para quem deseja saber mais sobre a experiência trans e entender como se desenvolvem diversas identidades de gênero. Disponível no catálogo brasileiro do HBO Max, o longa acompanha a história de quatro famílias americanas que lidam com a intolerância conservadora em uma das regiões mais religiosas dos Estados Unidos.

O filme traz uma análise sutil de como as famílias brigam, se transformam e, às vezes, encontram um propósito inesperado em suas identidades. Leve, esteticamente impressionante e profundamente comovente, Transhood é um grito de liberdade em uma época na qual os direitos das pessoas trans se tornam vítimas de ataques diários.

Eu Me Importo – Netflix

Eu Me Importo caracteriza um aspecto muito interessante da representatividade LGBTQIA+ nos cinemas. No filme, a sexualidade da protagonista Marla é apenas um detalhe. Esse tipo de abordagem é extremamente importante. Afinal, a vivência LGBTQIA+ envolve muito mais do que histórias traumáticas, tramas de preconceito e trajetórias de superação.

O filme da Netflix traz Rosamund Pike (Garota Exemplar) como Marla Grayson, uma mulher desprezível que utiliza as lacunas do sistema jurídico americano – junto com sua enorme cara de pau – para se tornar a guardiã legal de idosos e roubar suas propriedades. Marla é lésbica, mas sua relação com a namorada não é, nem de longe, o principal tema do longa.

Sobre o autor

Alexandre Guglielmelli

Alexandre Guglielmelli

Formado pela PUC Minas, sou especialista em filmes de terror, reality shows e cultura pop. Nas horas vagas, gosto de escrever e oferecer indicações de filmes e séries para os amigos.

Publicidade