Mais do que você gosta.

Publicidade

Aclamados

Os filmes indicados ao Oscar 2022 que estão na Netflix

Entre Ataque dos Cães e Não Olhe Para Cima, plataforma figura nas principais categorias da premiação

Publicado por Alexandre Guglielmelli

09/02/2022 18:30

Com muitas surpresas, as indicações ao Oscar 2022 deixaram a indústria do entretenimento em polvorosa. Assim como nos anos anteriores, projetos da Netflix figuram nas categorias mais importantes da premiação. Entre dramas históricos, comédias satíricas e suspenses chocantes, a plataforma tem tudo para levar muitas estatuetas para casa.

Inclusive, o filme mais lembrado pela Academia é uma produção da Netflix! Trata-se de Ataque dos Cães, o poderoso e tocante faroeste da cineasta neozelandesa Jane Campion, indicado a 12 categorias na premiação.

Continua depois da publicidade

Em 2022, a celebração mais importante do cinema acontece em 27 de março. A 94ª edição do Oscar será realizada no Teatro Dolby, em Hollywood. A cerimônia deve ser transmitida no Brasil por canais abertos e emissoras fechadas, além de streamings online.

Listamos abaixo todos os filmes indicados ao Oscar 2022 que estão na Netflix; veja e corra para conferir antes da cerimônia.

Ataque dos Cães

Ataque dos Cães lidera a corrida da Netflix na premiação, e tem tudo para sair como um dos grandes vencedores do Oscar 2022. Ancorado por poderosas performances de Benedict Cumberbatch, Kodi Smit-McPhee e Kirsten Dunst, o faroeste acompanha a história de um fazendeiro durão que trava uma guerra de ameaças com a nova cunhada e seu filho adolescente, o que leva à revelação de antigos segredos.

Indicações: Melhor Filme, Direção (Jane Campion), Ator (Benedict Cumberbatch), Ator Coadjuvante (Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee), Atriz Coadjuvante (Kirsten Dunst), Roteiro Adaptado (Jane Campion), Fotografia (Ari Wegner), Edição (Peter Sciberras), Trilha Sonora (Jonny Greenwood), Design de Produção (Grant Majors e Amber Richards) e Som (Richard Flynn, Robert McKenzie, Tara Webb).

Não Olhe Para Cima

Não Olhe Para Cima dividiu a opinião da crítica especializada, e por isso, sua inclusão na categoria de Melhor Filme foi uma grande surpresa para a Netflix. Protagonizado por Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence, Não Olhe Para Cima é a história de dois astrônomos que descobrem um asteroide em rota de colisão com a Terra, e embarcam em uma turnê midiática para alertar a humanidade sobre o perigo – em uma criativa alegoria às mudanças climáticas.

Indicações: Melhor Filme, Roteiro Original (Adam McKay e Kevin Messick), Edição (Hank Corwin) e Trilha Sonora (Nicholas Britell).

A Filha Perdida

A Filha Perdida foi uma das principais apostas da Netflix para o Oscar 2022, mas infelizmente, não figurou entre os indicados a Melhor Filme. No entanto, o longa foi lembrado em algumas das mais importantes categorias da produção. Baseado na obra de Elena Ferrante, A Filha Perdida tem Olivia Colman e Dakota Johnson como protagonistas. O filme conta a história de Leda, uma mulher de meia idade que fica obcecada com uma jovem mãe durante uma viagem de férias.

Indicações: Melhor Atriz (Olivia Colman), Atriz Coadjuvante (Jessie Buckley) e Roteiro Adaptado (Maggie Gyllenhaal).

tick, tick… Boom!

Sucesso na Netflix, tick, tick… Boom! adapta para as telas a história real do dramaturgo americano Jonathan Larson, criador do musical Rent e de outras icônicas peças da Broadway. O filme também representa a melhor performance da carreira de Andrew Garfield, que na pele de Larson, lida com amores, amizades e dramas pessoais.

Indicações: Melhor Ator (Andrew Garfield) e Edição (Myron Kerstein e Andrew Weisblum).

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas

A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas foi um dos filmes animados mais elogiados da Netflix em 2021. Com uma história extremamente divertida e sutis referências aos problemas da modernidade, o filme garantiu 97% de aprovação no Rotten Tomatoes. No longa, a Família Mitchell têm as férias interrompidas por uma revolta de robôs, e se torna a principal esperança para salvar o destino da raça humana.

Indicações: Melhor Filme Animado.

The Hand of God – A Mão de Deus

Inspirado pela juventude do cineasta Paolo Sorrentino, The Hand of God – A Mão de Deus é uma das grandes apostas da Netflix para a categoria de Melhor Filme Estrangeiro. Ambientado na Nápoles dos anos 80, o drama italiano conta a história de um jovem fã de futebol, que após uma tragédia familiar, decide correr atrás de seus sonhos e se tornar um diretor de cinema.

Indicações: Melhor Filme Estrangeiro.

A Sabiá Sabiazinha

Mesmo com sua curta duração, A Sabiá Sabiazinha conseguiu emocionar espectadores do mundo todo. Produzido por Dan Ojari com a tecnologia stop-motion (bonecos de massinha), o curta-metragem conta a história de uma pequena sabiá criada por uma família de camundongos. Na véspera de Natal, ela faz um pedido à Estrela da árvore, e embarca em uma jornada para encontrar seu lugar no mundo e aprender a voar.

Indicações: Melhor Curta-Metragem Animado.

Audible

Audible recebeu muitos elogios da crítica especializada ao abordar com sensibilidade e franqueza um tema bastante complicado. A produção acompanha a história real de Amaree McKenstry Hall, um jogador de futebol americano de uma escola para surdos, que se prepara para uma importante partida enquanto tenta lidar com o suicídio de um dos melhores amigos.

Indicações: Melhor Documentário de Curta-Metragem.

Onde Eu Moro

O documentário Onde Eu Moro faz um ótimo trabalho ao retratar uma das questões mais importantes da atualidade: a crise humanitária da população em situação de rua. Com apenas 40 minutos de duração, a produção emociona com histórias tocantes sobre moradores de rua dos Estados Unidos, em uma reflexão poderosa sobre as falhas da sociedade capitalista e o descaso (e intolerância) dos governos.

Indicações: Melhor Documentário de Curta-Metragem.

Três Canções para Benazir

Três Canções para Benazir é a história real de um refugiado afegão recém-casado, que luta para conciliar seu sonho de entrar no exército com as responsabilidades familiares. O documentário é uma verdadeira lição de resiliência, e consegue fazer um retrato fiel da crise migratória e das condições precárias dos campos de refugiados.

Indicações: Melhor Documentário de Curta-Metragem.

Publicidade