Mais do que você gosta.

Publicidade

Complexo

Sandman: Explicamos os 7 momentos mais confusos da 1ª temporada

Alguns fãs podem ter "boiado" em alguns elementos da série da Netflix

Publicado por Guilherme Coral

06/08/2022 18:00

Alerta de spoilers

Depois de muita espera, Sandman enfim chegou à Netflix, levando as páginas de Neil Gaiman para as telinhas.

Ao introduzir uma mitologia bastante diferente do que já vimos em outras produções, é natural que alguns fãs acabem ficando confusos com certos acontecimentos, ou aspectos da série.

Continua depois da publicidade

Assim sendo, o Looper elencou sete momentos que podem ter deixados alguns espectadores confusos, explicando esses pontos da série da Netflix. Veja abaixo.

Duelo com o Diabo

Embora Morpheus tenha recebido sua audiência com Lucifer Morningstar (Gwendoline Christie) no Inferno, recuperar seu elmo está longe de ser uma coisa simples. O demônio que o possui, Choronzon, se recusa a devolvê-lo, forçando Morpheus a duelar com ele.

Enquanto o Senhor dos Sonhos escolhe se representar na batalha, o demônio escolhe Lucifer como seu campeão – uma mudança notável em relação aos quadrinhos.

Nos quadrinhos originais, os dois não duelam com armas físicas, mas sim com suas vontades e seus poderes de criação. Revezando-se, cada um escolhe uma coisa para “ser”, forçando o outro a inventar algo para derrotar aquela coisa, e assim por diante.

Nos quadrinhos, o duelo parece ser em grande parte teórico e nem Choronzon, nem Morpheus, parecem particularmente afetados pela luta. É mais como um jogo de inteligência, que o Senhor dos Sonhos eventualmente vence ao “tornar-se” esperança.

Na série, a batalha é muito mais intensa. Cada ataque das criaturas e ideias imaginadas tem um impacto físico visível em Sonho e Lúcifer, sugerindo que a batalha está realmente acontecendo em algum lugar. A implicação parece ser que eles estão “se tornando” coisas em um reino da mente, mas que seus poderes são tão fortes que podem sentir os efeitos no mundo real.

O fim do sonho de John Dee

Quando Morpheus encontra John Dee, vemos uma batalha mágica que é mais do que um pouco confusa.

John Dee é puxado para um sonho por Morpheus,  onde ele é recebido por alguns de seus maiores medos. Ele reconhece que o sonho está acontecendo, no entanto, e parece quebrar o feitiço, transportando-se para o palácio no coração do Sonho.

Uma vez lá, ele provoca Morpheus e começa a destruir os terrenos, agarrando o rubi com mais força ao fazê-lo, a fim de espremer todo o seu poder. Mas então o rubi se despedaça, a ilusão é quebrada e John se encontra na palma da mão de um enorme Sonho.

A implicação é que John Dee na verdade nunca teve o controle do sonho – que sua jornada ao coração do Sonho foi apenas mais uma invenção destinada a enganá-lo e levá-lo à derrota.

Vida eterna

O episódio 6 da primeira temporada de Sandman detalha a relação secular entre Sonho e um homem chamado Hob Gadling (Ferdinand Kingsley), que recebeu a imortalidade em 1389 como parte de uma aposta entre a Morte e o Sonho.

A cada 100 anos, Dream e Hob se encontram na mesma taverna. E em cada encontro, sem falta, Hob declara seu desejo de continuar vivendo, mesmo quando as coisas em sua vida parecem miseráveis.

É uma série de cenas rápidas e fascinantes, e há vários pequenos detalhes que você pode perder na primeira vez. Durante uma reunião, um jovem William Shakespeare chama a atenção de Dream, que o leva para uma sala ao lado para conversar. A implicação é que Shakespeare tinha talento real, mas que seu sucesso foi em grande parte devido à intervenção sobrenatural.

Os flashbacks também mostram o retorno de Jenna Coleman como ancestral de Johanna Constantine com o mesmo nome. Esta versão mais antiga do personagem é retirada diretamente dos quadrinhos, assim como seu confronto com Dream e Hob. Ela acredita que eles sejam “O Diabo e o judeu errante ” e procura obter novos conhecimentos mágicos deles, mas Dream a evita.

O retorno de Gault

Depois que Lucienne (Vivienne Acheampong) completa seu censo do Sonhar, ela descobre que três dos “arcanos maiores” ainda estão faltando – o Coríntio (Boyd Holbrook), um sonho chamado Verde do Violista e um pesadelo chamado Gault (Ann Ogbomo).

Sonho encontra Gault depois de rastrear o irmão de Rose Walker (Vanesu Samunyai), Jed (Eddie Karanja), que foi escondido do Sonhar real em uma versão menor da criação de Gault.

Os detalhes do mundo de Gault são apenas brevemente mencionados, mas em essência, ela corta Jed do resto do Sonhar criando um reino menor e oculto dentro dele.

Morpheus ainda é capaz de entrar neste reino uma vez que o descobre, pois ele ainda é o Senhor dos Sonhos. Quando solicitada a explicar suas ações, Gault diz que ela simplesmente queria ser um sonho – algo que inspira as pessoas – em vez de um pesadelo. Sua escolha de Jed Walker para habitar seu Sonho pode ser um efeito subconsciente dos poderes de vórtice de Rose, que Morpheus diz atrair sonhos e pesadelos.

Quando Morpheus diz a Gault que ela deve ser novamente um pesadelo, ela o desafia, atraindo sua raiva. Ele a ameaça com “alguns milhares de anos na escuridão” e parece vaporizar seu corpo, transportando-a para algum lugar desconhecido.

Convenção dos cereais

Uma das partes mais estranhas da primeira temporada de Sandman da Netflix é a convenção de assassinos em série, que fornece o cenário para o clímax. A coisa toda parece um pouco aleatória, porém, quando o Coríntio tropeça nos colecionadores por instigação deles e decide no calor do momento usar suas mentes violentas a seu favor.

Existem várias referências de como cada um dos serial killers da convenção foi inspirado pelo Coríntio, que eles veem como um dos seus. A implicação parece ser que estes não são apenas assassinos em série comuns, mas pessoas que foram especificamente corrompidas pela escuridão do Coríntio.

Sua presença e violência contínuas no mundo humano trouxeram implicações terríveis, manifestando-se como um hotel cheio de assassinos. Em outras palavras, embora o Coríntio não tenha planejado a convenção com antecedência, ele é o principal motivo de sua existência.

O plano de Desejo

Embora eles nunca entrem diretamente na ação, o irmão de Sonho, Desejo (Mason Alexander Park) é mostrado como o cérebro de todo o dilema do vórtice dos sonhos.

Eles são secretamente os bisavós de Rose Walker, tendo tido um relacionamento com Unity Kincaid (Sandra James-Young) – que originalmente deveria ser o vórtice dos sonhos – durante seu longo tempo adormecido. Desejo adia intencionalmente a chegada do vórtice na Terra até que Morpheus escape de sua prisão, com o objetivo final de enganá-lo para matar seus próprios parentes sem perceber.

Lúcifer se prepara para a guerra

A primeira temporada de Sandman da Netflix termina com Lúcifer  aparentemente se preparando para a guerra contra o Sonhar e os outros reinos. Claramente ainda ofendido e enfurecido por ter sido derrotado por Morpheus no início da temporada, Morningstar concorda com uma sugestão de um dos demônios mais fortes do Inferno para organizar um exército e expandir as fronteiras do reino.

O objetivo final parece ser expandir o Inferno para todos os cantos do universo, incluindo até mesmo conquistar o próprio Céu.

A motivação para esta conquista é dupla. Os demônios do Inferno estão inquietos e querem lutar, e Lúcifer quer vingança contra Sonho por ser humilhado em público.

Sandman já está disponível na Netflix.

Sobre o autor

Guilherme Coral

Guilherme Coral

Refugiado de uma galáxia muito muito distante, caí neste planeta do setor 2814 por engano. Fui levado, graças à paixão por filmes e séries, ao curso de Cinema e Audiovisual e atualmente me aventuro pela faculdade de Jornalismo.

Publicidade