X-Men: Fênix Negra vai “revolucionar” filmes de super-herói, diz atriz

Publicidade

X-Men: Fênix Negra ganhou um elogio muito preciso da atriz Sophie Turner, a Jean Grey do filme, em entrevista à Empire.

“Nós vamos revolucionar o gênero dos super-heróis”, contou ela. “Esse é um drama sombrio e brutal. Queremos criar todo um novo gênero para os super-heróis transitarem”.

“É muito empolgante ter Simon [Kinberg] na direção, porque ele tem sido o cérebro por trás dessa franquia por anos. É como ter um forte aliado no comando, um de nós! Ele é um dos diretores mais incríveis com quem trabalhei, tão passional e colaborativo”, completou ainda.

Continua depois da publicidade

Vilã de Jessica Chastain aparece em nova foto

O filme se passa em 1992, em torno de 10 anos depois dos eventos de X-Men: Apocalipse. Fênix Negra abre com os X-Men, incluindo Mística (Jennifer Lawrence), Fera (Nicholas Hoult), Tempestade (Alexandra Shipp), Noturno (Kodi Smit-McPhee) e Mercúrio (Evan Peters) em um inesperado novo papel: heróis nacionais. Charles Xavier (James McAvoy) chega a ser eleito a Pessoa do Ano da revista TIME. Quando os heróis são mandados para uma missão espacial, no entanto, uma explosão solar os atinge, o que acorda uma força maligna adormecida dentro de Jean Grey (Sophie Turner) – a poderosa e temível Fênix.

Baseado parcialmente nos quadrinhos de Chris Claremont, uma das histórias mais clássicas dos X-Men, Fênix Negra vai ter alguma das “maiores cenas de ação da franquia até hoje”, adianta James McAvoy.

Fênix Negra será a estreia na direção de Simon Kinberg, que tem tocado a saga desde o começo como roteirista. O filme chega aos cinemas em 2 de novembro de 2018.

Publicidade
© 2021 Observatório do Cinema | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade