Escritora é condenada a 10 anos de prisão na China por publicar mangá yaoi

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma escritora de mangás foi condenada a 10 anos de prisão na China por conta de uma das suas recentes publicações. A informação é do Anime News Network.

Conforme o portal, a história foi acusada de ultrapassar os limites do país asiático de conteúdo obsceno. Os mangás yaoi ou Boys’Love são obras criadas com foco na relação homossexual entre garotos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A escritora, que teve apenas o nome Liu divulgado, publicou uma série chamada Attack and Occupy. O mangá fez sucesso no país, vendendo sete mil cópias entre maio de 2017 e novembro de 2018. No entanto, foi justamente a popularidade da história que fez a autora ser presa pelo governo chinês.

Cowboy Bebop | Netflix anuncia remake em live-action de popular anime

A justiça local acusou Liu de “descrever homossexuais homens e mulheres de forma obscena” e detalhar “violência, abuso, vulgaridade, e outros comportamentos relacionados a perversão sexual”. A autora foi presa ainda em novembro do ano passado e desde então estava em investigação. A pena foi divulgada apenas neste mês.

Além de Liu, o seu revisor, que teve apenas a identidade Lin divulgada, também recebeu a mesma pena. Duas advogadas locais trabalham para conseguir a liberdade da dupla. Além disso, fãs chineses e japoneses de mangás usam as redes sociais para protestar contra o governo chinês.

O caso não vem recebendo atualizações e tem assustado outros autores. Escritores chineses de mangás yaoi pedem para que os fãs não republiquem as histórias na internet. Grupos locais afirmam que o governo chinês está trabalhando contra a comunidade LGBT.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio