A série em quadrinhos de The Walking Dead acaba na edição #193, que será lançada oficialmente nesta quarta, 3 de julho. No entanto, o desfecho poderia ser bem diferente.

A Entertainment Weekly relembrou que o criador Robert Kirkman tinha outros planos para a HQ. A sua intenção era a de acabar a história de Rick Grimes bem antes.

“Quando a história chegou em Alexandria, na edição #72, as coisas aconteceriam como estão acontecendo. Rick e os seus amigos teriam problemas em se encaixar por conta de tudo que viveram. Levaria a um confronto contra Alexandria e Rick tomaria a liderança. A grande história seria de que eles não teriam saída e de aquele era um lugar pelo qual valia a pena lutar. Eles não podiam mais viver se mudando, eles tinham que parar, se instalar e começar a construir algo. Os dias de nômades tinham ficado para trás”, escreveu o quadrinista na edição #123 das HQs.


Naquela revistinha, o criador revela que esse seria o fim de The Walking Dead. A percepção seria de que o leitor estava o tempo inteiro lendo um conto antigo.

“Bem, por anos, isso foi planejado como o fim. Rick faria um discurso e ao fim o foco seria no rosto dele. Quando você virasse a página, teria o rosto de Rick novamente, mas como uma estátua. Haveria alguns defeitos nela para você perceber o quanto o monumento era antigo. Depois, haveria um plano geral de Alexandria, a estátua estaria no mesmo lugar em que Rick fez o discurso, mas o cenário estaria diferente. Estaria tudo velho, com janelas quebradas e sem portas. Veríamos zumbis passando e que Rick trouxe eles para Alexandria, dando o seu grande discurso sobre reconstruir a civilização, o que foi bem-sucedido, ao ponto que de que construíram uma estátua para ele. Mas no fim, os zumbis venceriam, a sociedade acabaria de vez, dessa vez em definitivo e seria isso”, explicou ainda Kirkman.

Naquela mesma edição, o escritor admitiu que achava a ideia “ruim”. Além disso, Kirkman contou que “não estava pronto” para dar um fim à série de HQs.

Na TV, The Walking Dead chega com a 10ª temporada ainda em 2019.