Marvel torna infame morte de Gwen Stacy ainda mais trágica; veja

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A morte de Gwen Stacy é um dos momentos mais importantes da história do Homem-Aranha. Sequestrada por Duende Verde, ela foi jogada da ponte George Washington e o Homem-Aranha não conseguiu salvá-la.

Sua teia, mesmo inadvertidamente, causou o efeito chicote que a matou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na atual minissérie de Gwen Stacy, mais atenção é dada aos anos do ensino médio e, na edição #2, ela conhece Norman Osborn pela primeira vez. Não apenas Gwen Stacy #2 prenuncia seu destino final, mas também indica uma das interações mais infames entre Gwen e Norman.

O caminho antes da tragédia

O filho de Norman, Harry, conta a seus amigos – incluindo Gwen – sobre o computador OsCorp de seu pai, que vem com um programa de modelagem digital que permite ao usuário criar cenários específicos. Ainda não foi divulgado ao público, o que significa que Harry precisa levá-los ao seu escritório para acessar a tecnologia.

Gwen usa o programa para analisar como o pai foi ferido e tentar provar como ele não matou Pappas. Norman volta para casa, encontrando os três em seu escritório e utilizando seu computador particular.

Gwen se explica para Norman e se apresenta com um senso de confiança que o surpreende.

Aparentemente surpreso e impressionado quando ela se explica, Norman concorda em deixá-los continuar a utilizar sua tecnologia enquanto ele sai para tomar uma bebida. Ele até dá conselhos sobre como procurar pessoas que se beneficiariam do ataque do Capitão Stacy.

Enquanto isso, Norman – como Duende Verde – vem fazendo jogos de poder em Nova York, na tentativa de centralizar sua base de poder no elemento criminoso da cidade. Gwen, Watanabe e De Wolfe chegam à conclusão de que é o Duende Verde mirando o Capitão Stacy.

George Stacy contempla apenas se aposentar em vez de prosseguir com o assunto, mesmo mencionando especificamente o medo do que aconteceria se o Duende Verde atingisse Gwen.

Continuando sua investigação, Gwen se aproxima de Norman mais uma vez. Sua pesquisa a leva a uma conexão entre o planador do Duende Verde e um design descartado da OsCorp do mesmo dispositivo.

Gwen tem sorte de ela não o acusar de estar envolvido, caso contrário, seu destino final nas mãos de Norman podia ter chegado muito mais cedo. Afinal, eles estão em uma varanda e Norman treme visivelmente quando ela menciona que Norman estava muito envolvido no Projeto Planador.

Ele poderia facilmente empurrá-la de lá.

No entanto, Gwen acredita que Norman é velho demais para ser tão forte e atlético quanto o Duende Verde. Envergonhada, Gwen ri com Norman sobre a ideia.

Ele usa o seu charme e dá a ela a ideia de abordar Frederick Foswell, também conhecido como o ex-vilão Big Man, como possível líder. Gwen foge para acompanhar essas novas informações, chamando Norman de “o melhor” quando ela sai.

Considerando o seu eventual papel na vida um do outro, é um duro golpe para os leitores.

Todas essas interações provocam não apenas o destino trágico de Gwen nas mãos de Norman Osborn, mas outro momento infame entre eles. Em “Pecados Passados”, de Amazing Spider-Man #509-514, é revelado que Gwen teve um caso com Norman.

Isso resultou no nascimento de gêmeos, Gabriel e Sarah. Gwen pretendia criar seus filhos com Peter Parker, mas manteve o nascimento em segredo a princípio.

A morte de Gwen é, portanto, uma conclusão violenta de um romance infeliz com um homem muito mais velho. A tentativa de Norman de encantá-la em Gwen Stacy #2 sugere seu caso eventual, o que torna essa primeira interação ainda mais trágica.

Gwen Stacy #2, da Marvel, foi lançada nos Estados Unidos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio