No início de Viúva Negra #1, Natasha Romanoff é uma nova recruta para a S.H.I.E.L.D. e relutantemente concorda com uma sessão de treinamento de oficiais com o especialista em Coesão de Combate, Tony Masters.

Depois de desmontar alguns robôs fictícios, ela revela a base para seu estilo distinto.

Balé fatal

Para os fãs da Viúva Negra, a fusão estética do balé com as artes marciais é perfeitamente consistente com a origem da espiã e a identidade do passado como bailarina russa.


Também relevante aqui é a principal habilidade do Treinador, seus chamados “reflexos fotográficos”, que lhe permitem replicar as ações físicas de outras pessoas à vista.

Mais tarde na história, Masters tenta enquadrar Romanoff por se infiltrar em uma instalação da S.H.I.E.L.D. com passos de balé, matando alguns guardas.

O problema é que, na verdade, o intruso era o Treinador, copiando os movimentos de dança aprendidos com a Viúva.

O tema do treinamento de balé continua com a Viúva Negra, revelando que seu objetivo secundário era libertar Iosif Stepanov, um agente do serviço secreto russo que ensinou seu balé na infância.

Ela faz um acordo com Nick Fury para libertar Stepanov da seção de detidos da S.H.I.E.L.D. e oferecer ao homem agora idoso uma nova identidade.

Mesmo que não se goste da arte notoriamente rigorosa do balé, este conto de espionagem bem elaborado aborda questões sobre a Viúva Negra em todas as suas várias encarnações.

Mais importante ainda, esta história confirma que a capacidade metahumana real da Viúva Negra pode ser pensada como uma experiência de dança que beira uma superpotência artística.

Viúva Negra #1 já está à venda nas lojas de quadrinhos norte-americanas.