A quinta temporada de Homeland mudará de cenário – trocando o Oriente Médio pela Alemanha – mas não deixará de abordar temas reais. Durante evento da Associação dos Críticos de TV dos EUA, o presidente do canal Showtime, David Nevins, revelou que o novo ano da série incluirá assuntos como o ataque ao jornal Charlie Hebdo e o caso do ex-espião da CIA Edward Snowden.

“Essas histórias são muito recentes, e por isso eu acho que são temas com os quais as pessoas vão se identificar”, disse o executivo ao Telegraph. “Teremos elementos interessantes nessa temporada, e enquanto mantivermos o frescor, esta será uma série que nunca vai repetir uma temporada, ao contrário de outras séries que vemos por aí”, alfinetou.

A nova temporada começará com um intervalo de dois anos em relação ao final da quarta, mostrando Carrie (Claire Danes) lidando com o fracasso como chefe de estação em Islamabad. Lutando para conciliar sua culpa e desilusão com anos de trabalho na linha de frente à guerra ao terror, Carrie se encontra em um exílio auto-imposto em Berlim, afastada da CIA, trabalhando para uma empresa de segurança privada.


“O primeiro episódio lidará com a Rússia [e sua proximidade da Alemanha]”, adiantou Nevins. “O que Putin vai fazer? O que está acontecendo com essa relação complicada por lá?”, serão algumas das questões abordadas, segundo o executivo, que ainda acrescentou: “Também lidaremos com o [grupo terrorista] ISIS”. Esta é a primeira série americana a ter sua temporada inteira filmada na Alemanha.

Em outra notícia relacionada, o Showtime divulgou dois novos teasers da quinta temporada de Homeland, que focam nos personagens Carrie e Saul.

Uma das prévias começa mostrando Carrie tentando manter uma vida normal, mas o sossegado acaba segundo depois quando a personagem é raptada e trazida de volta à ação. Assista:

Homeland retorna em 4 de outubro na TV americana.