O site What Culture conversou com Frank Dillane, o Nick de Fear the Walking Dead, às vésperas do final da primeira temporada, que irá ao ar neste domingo (4) nos EUA e Brasil.

O ator falou sobre seu personagem, os vícios de Nick, as comparações com The Walking Dead, a fama e as expectativas para a segunda temporada, já confirmada. O Observatório do Cinema traduziu os principais trechos da entrevista para você:

Como é ser protagonista de uma série vista por milhões de pessoas?


“Realmente não me vejo como protagonista. Nick certamente não é o convencional tipo de personagem principal. Suponho que ele seja um pouco anti-herói no momento. Na verdade eu nunca pensei nele sendo protagonista. E nem tento pensar nisso, para ser sincero”.

Quais as diferenças entre The Walking Dead e o derivado?

“Bem, a série se chama Fear the Walking Dead, então apenas uma palavra a separa de ser The Walking Dead. Ela é uma série complementar [ao universo de Walking Dead], portanto, as duas compartilham algumas semelhanças e são do mesmo gênero. De certo modo, Fear ainda tem muito o que provar. Nesses tempos atuais, tanto na TV quanto no cinema, o importante é reciclar algo muito bom ao invés de apenas refazer as coisas. [Fear the Walking Dead] Não é muito diferente dos prelúdios e sequências de Star Wars, acredito eu”.

Você tirou alguma inspiração de The Walking Dead?

“Nick é o novo Rick? Sendo absolutamente honesto com você, eu não assisti The Walking Dead, então eu não sei. Eu sequer tinha ouvido falar sobre a série… Talvez eu vou assistí-la, mas admito que eu também não vi Fear ainda”.

Como é estar em um set cercado por zumbis e com o mundo acabando?

“É realmente incrível quando você nota quantas coisas estão acontecendo em torno da pequena cena que você passou semanas ensaiando, e então você vê todo mundo, todos os zumbis, todos os helicópteros ao seu retorno e percebe que, na verdade, você é apenas uma pequena engrenagem em uma enorme operação. Então, isso pode ser muito assustador quando você pensa em quanto dinheiro eles estão investindo nisso”.

Seu pai, Stephen Dillane (Stannis Baratheon), está em Game of Thrones…

“Ah, sim, eu não nunca assisti Game of Thrones. Certamente não existe rivalidade entre eu e meu velho, ele faz a coisa dele e eu a minha”.

Você acredita que seus fãs de Harry Potter – Dillane fez o jovem Voldemort – ajudaram Fear the Walking Dead a se tornar um sucesso?

“Provavelmente, até certo ponto, embora a fama não me afete. Eu não vejo muito diferença na minha vida desde que eu tinha seis anos. Não sou assediado ou qualquer coisa do tipo. Ocasionalmente, alguém vem me dizer algo legal quando eu pego o metrô ou estou em um pub [o ator é britânico]”.

O que o futuro reserva para Nick na segunda temporada?

“Eu tenho minhas expectativas para Nick, mas os roteiristas mantêm tudo em segredo. Mesmo no processo de testes [para o personagem], eu sequer recebi o roteiro. Então, até aceitar o papel, eu não sabia quase nada sobre a história de Nick. E ainda não sei o que vai acontecer na segunda temporada. Eu realmente espero que Nick largue as drogas, porque você não consegue ir muito longe usando heroína. Espero que ele fique sóbrio e faça outras coisas além de andar como um peru frio e sempre estar se sentindo terrível”.

Você gostaria de ver seu personagem se transformando em um herói de ação, como Rick?

“Não sei se eu seria capaz de interpretar um herói de ação. Eu teria que fazer algum treinamento. Com Nick, você nunca sabe se ele vai dizer a verdade e você nunca sabe se o coração dele está no lugar certo ou errado. Então é um pouco difícil julgá-lo, saber se ele é mocinho ou vilão”.

“The Good Man”, o último episódio da temporada, vai ao ar nos EUA e Brasil neste domingo, 4 de outubro. No mesmo dia, será lançada uma websérie de Fear the Walking Dead, que mostrará um ataque áereo de zumbis – saiba mais detalhes.

Crítica | Fear the Walking Dead

Especial | Tudo sobre Fear the Walking Dead

A segunda temporada já foi garantida e terá mais que o dobro de episódios – leia mais.

Tudo sobre: Fear the Walking Dead