O autor Neil Gaiman, que escreveu o livro-base para a vindoura série American Gods e se envolveu na produção (inclusive como co-roteirista) conversou com a Entertainment Weekly sobre o dilema da fidelidade e as diferenças entre livro e série.

“Eu espero ter aprendido algumas coisas graças aos elementos dos filmes anteriores baseados em obras minhas que não funcionaram”, disse Gaiman, autor de Coraline, Stardust e outras obras traduzidas para o cinema. “É estranho porque minha atitude fundamental é a de querer proteger o coração e a alma dessa história, mas ao mesmo tempo preciso deixar as pessoas criarem, se divertirem, construírem em cima do que fiz. Para mim é como uma corda bamba, e você não pode cair de jeito nenhum”.

“Pelo menos nos estágios de roteiro, eu não tinha vergonha de dizer para Bryan [Fuller, da série Hannibal, que está conduzindo American Gods]: ‘eu adorei isso, amei isso, mas isso aqui só por cima do meu cadáver'”, riu Gaiman. “Agora, no entanto, eles estão filmando já há 10 dias, e o que eu posso dizer é que esse American Gods é um animal completamente próprio. Eu estou vendo Ian McShane e Ricky Whittle dando vida aos meus personagens, mas ao mesmo tempo percebendo como a série está tomando vida própria”.


American Gods escala atores para as duas encarnações do deus Loki

Em American Gods, Ian McShane interpretará Mr. Wednesday, encarnação do deus nórdico Odin, se juntando ao protagonista Ricky Whittle (The 100), que viverá Shadow Moon, ex-vigarista que agora serve como segurança e companheiro de viagem para o Sr. Wednesday, um homem fraudulento com uma missão: reunir forças para lutar contra os novos deuses.

Emily Browning (Sucker Punch) Crispin Glover (Alice no País das Maravilhas) e Jonathan Tucker (Kingdom) também estão no elenco. American Gods estreará em 2017 na TV americana.