Deuses Americanos | Série vai divergir do livro por causa de Trump – entenda

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por Wesley Parrera

O piloto da série American Gods, baseada no livro Deuses Americanos, de Neil Gaiman, foi exibido no Festival SXSW e está recheado de cenas de sexo e violência. Mas nem foi isso que acabou chamando mais a atenção.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A série toca em temas polêmicos para a sociedade conservadora americana como religião e imigrantes. Nela, deuses são criados a partir das crenças das pessoas e o influxo de imigrantes faz com que novos deuses apareçam.

A imigração tem se tornado um assunto tratado cada vez mais de maneira inflamada devido às medidas de restrição tomadas pelo presidente dos EUA, Donald Trump. O produtor executivo de American Gods, Bryan Fuller, contou à Entertainment Weekly como o roteiro se modificou para lidar com a mudança na sociedade:

“É definitivamente um programa diferente que nos propusemos fazer, porque o clima político nos EUA é péssimo e não vamos contar histórias de imigração em massa num clima que vilifica os imigrantes, então temos uma estranha nova plataforma para começar um tipo diferente de conversa”, disse Fuller.

Outra diferença da série em comparação com o livro, segundo Fuller, foi a expansão dos papéis femininos: “Na verdade, expandimos vários papéis femininos do livro, uma vez que ele tendia a virar um clube do bolinha entre Shadow (Ricky Whittle) e Wednesday (Ian McShane), então sabíamos que precisávamos de muito mais energia feminina dentro da série. Nós expandimos Bilquis, nós expandimos Audrey (Betty Gilpin – que roubou a cena arrancando risos da plateia na prévia da série)”.

McShane aumenta as expectativas para a série: “Eu nunca vi nada disso antes e eu achei que foi incrivelmente fantástico. Sério. Eu fiquei fissurado. Nunca vi nada igual antes”, disse o ator após a exibição do piloto.

American Gods gira em torno de Shadow Moon (Ricky Whittle, de The 100), ex-vigarista que agora serve como segurança e companheiro de viagem para o Sr. Wednesday (Ian McShane), um homem fraudulento – que na verdade é a encarnação do deus nórdico Odin – com uma missão: reunir forças para lutar contra os novos deuses.

Pablo Schreiber (Mad Sweeney), Gillian Anderson (Media), Jonathan Tucker (Low-Key Liesmith), Emily Browning (Laura Moon), Omid Abtahi (Salim), Crispin Glover (Mr. World), Orlando Jones (Mr. Nancy), Demore Barnes (Mr. Ibis), Dane Cook (Robbie) e Jeremy Davies (Jesus Cristo) completam o elenco.

Bryan Fuller (Hannibal, Pushing Daisies) e Michael Green (Lanterna Verde, Heroes) são os responsáveis pela série, que conta com produção executiva de Neil Gaiman.

O canal pago americano Starz começará a exibir Deuses Americanos em 30 de abril.

Produtores falam da importância da diversidade na série

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio