Game of Thrones | Sophie Turner se diz “satisfeita” por cenas de estupro: “Seria uma falha ficarmos em silêncio”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por Wesley Parreira

Em seu blog no jornal The Huffington Post UK, Sophie Turner, a Sansa Stark de Game of Thrones, contra-atacou críticos das cenas de violência sexual da série. Além disso, ela contou que a controvérsia gerada por conta de suas cenas de estupro inspirou sua parceria com a ONG Women for Women International, que luta contra a violência doméstica.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Foi uma cena em que minha personagem – uma refém de 15 anos de idade – foi estuprada por seu captor. Houve uma reação enorme e não foi particularmente positiva: as pessoas estavam boicotando a série, vários artigos estavam sendo produzidos on-line e a cena se tornou trending topic no Twitter”, relembrou a atriz.

“Para ser completamente honesta, minha reação inicial foi de satisfação: que o estupro, a violência doméstica e a desigualdade sexual sistêmica são algo de que somos capazes de falar, que somos capazes de criar e manter um diálogo público notável”, continua.

“Eu acho que dificilmente é possível exagerar a importância desse diálogo; se, ao nos verem contando essa parte da história de Sansa, 10 sobreviventes de violência sexual se sentiram capacitados para falar sobre sua experiência, eu aguento a tempestade no Twitter com prazer”.

Sophie Turner ainda considerou “vulgar” as críticas na internet à polêmica cena e estranhou o fato das pessoas acharem que Game of Thrones, “conhecida por suas descrições inflexíveis de incesto, escravidão (sexual e não) e a coerção reprodutiva de um irmão sobre sua irmã, não deveria representar o estupro”.

“Seria uma falha de nossa parte como contadores de histórias ser coniventes com um assunto que afeta nossas irmãs, mães, filhas, sobrinhas, primas todos os dias em todo o mundo. Tenho orgulho de fazer parte de um programa que não leva em consideração os problemas de ser uma mulher em uma sociedade patriarcal, e se calhar de um programa de ficção retratar a realidade da violência doméstica e sexual, que seja”, finalizou.

A sétima temporada de Game of Thrones começa a ser exibida no dia 16 de julho.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio