Deuses Americanos | Neil Gaiman conta o que o inspirou a escrever cena de sexo gay

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O último episódio de Deuses Americanos repercutiu bastante, entre outros motivos, por ter exibido uma sequência que tem sido descrita como uma das cenas de sexo gay mais explícitas já mostradas na televisão.

Desde o primeiro episódio, a série vem fazendo sucesso de público e recebendo críticas bastante positivas, por ter uma abordagem inovadora da linguagem televisiva e ser muito bem realizada. De qualquer modo, a cena gay tem gerado tanto críticas quanto elogios à atração.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em entrevista à EW, o autor do romance que inspirou a série, Neil Gaiman (que também escreveu a renomada série de quadrinhos Sandman), falou sobre a composição daquela cena no livro, há quase 20 anos.

Na sequência, um jovem vendedor chamado Salim (Omid Abtahi) pega um táxi dirigido por Jinn (Mousa Kraish), um dos deuses da história. Eles desabafam sobre suas vidas, têm uma conexão e acabam fazendo sexo num hotel. O escritor disse que, da fato, havia entrado em um táxi cujo motorista afirmou estar dirigindo por mais de 30 horas sem descanso.

“Depois, eu pensei, isso é horrível. A ideia de que alguém, para ganhar dinheiro, seja tão punido. E acho que parte da inspiração veio também da leitura das Mil e Uma Noites, em particular das traduções de Mardus e Mahdi. Acho que foi a primeira coisa que eu li que tinha… Sabe, há muito desse tipo de homoerotismo nas Noites Árabes. Isso era realmente uma parte interessante da cultura árabe sobre a qual eu nunca havia pensado, e estava aprendendo sobre (…). Daí em diante a história meio que se escreveu por si mesma”, declarou Gaiman.

O produtor Brian Fuller contou que, ao transpor a cena para a TV, o objetivo era simplesmente “fazer com que fosse inegavelmente lindo até mesmo para aqueles que se sentem desconfortáveis com cenas de sexo romântico entre pessoas do mesmo sexo”.

American Gods gira em torno de Shadow Moon (Ricky Whittle, de The 100), ex-vigarista que agora serve como segurança e companheiro de viagem para o Sr. Wednesday (Ian McShane), um homem fraudulento – que na verdade é a encarnação do deus nórdico Odin – com uma missão: reunir forças para lutar contra os novos deuses.

Pablo Schreiber (Mad Sweeney), Gillian Anderson (Media), Jonathan Tucker (Low-Key Liesmith), Emily Browning (Laura Moon), Omid Abtahi (Salim), Crispin Glover (Mr. World), Orlando Jones (Mr. Nancy), Demore Barnes (Mr. Ibis), Dane Cook (Robbie) e Jeremy Davies (Jesus Cristo) completam o elenco.

Produtores falam da importância da diversidade na série

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio