Série da Disney com personagem gay é sucesso de audiência nos EUA – mas foi banida no Quênia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Disney Channel quebrou seus próprios tabus ao introduzir um personagem gay pela primeira vez em sua história na série Andi Mack, e a decisão tem se mostrado popular com os espectadores americanos.

O episódio que mostrou a protagonista Andi (Peyton Elizabeth Lee) descobrindo que ela e seu melhor amigo, Cyrus (Joshua Rush), são apaixonados pelo mesmo garoto, um colega chamado Jonah (Asher Angel), foi visto por 2.1 milhões de espectadores.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É o segundo capítulo mais visto da série, atrás apenas do finale da primeira temporada, e um hit especialmente entre fãs entre 6 e 14 anos, que somam 1.1 milhão da audiência total.

No entanto, a série tem encontrado mais problemas para emplacar internacionalmente após a decisão – as emissoras DSTv e GOTv, principais canais do Quênia, foram obrigadas a tirar a série do ar por causa da introdução do personagem gay.

“Conteúdo LGBT não será transmitido no Quênia. Ponto”, foi o que disse o presidente da organização que dá classificações indicativas para obras de ficção no Quênia, Ezekiel Mutua, em um post no Facebook.

Outras séries foram banidas do país por motivos similares, como o reality I Am Cait, de Caitlyn Jenner, e as animações The Legend of Korra e Loud House.

A série Andi Mack já provocou polêmica por tratar de gravidez na adolescência, já que a protagonista descobre, no primeiro episódio que a pessoa que a criou como mãe é na verdade sua avó, e que aquela que achou ser sua irmã mais velha é na verdade sua mãe.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio