American Crime Story | Família Versace foi contra retrato de Gianni como portador de AIDS

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em nova matéria do THR, as reclamações da família Versace em relação a American Crime Story são aprofundadas e revela-se que a principal fonte de contenção entre produtores e família é o retrato de Gianni Versace como portador de HIV.

A escritora Maureen Orth, que assinou o livro que serve como base para a série, defende a informação de seu material.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Um policial que viu os relatórios de exames de sangue de Gianni, feitos após a morte dele, me disse que ele era HIV-positivo. Além disso, tenho relatos de outras testemunhas que viram Gianni fraco, com seu namorado Antonio tendo que ajudá-lo a andar, ou tomando dezenas de remédios por dia”, conta a escritora.

O roteirista Tim Rob Smith, que adaptou o livro para a TV, também apoia a declaração. “Se você olha para os fatos, ele ficou muito doente por um tempo e se recuperou bem na época em que a nova terapia para HIV começou a ser usada. As coisas se encaixam, mas mesmo que fosse qualquer outra doença, o que é incrível para mim é como esse homem se agarrou à vida. A vida era importante para ele”, diz.

Releia as críticas da família Versace à série

Gianni (Edgar Ramirez) foi morto em 1997 pelo serial killer Andrew Cunanan (Criss). Ricky Martin interpretará o modelo Antonio D’Amico, parceiro de longa data de Gianni, enquanto Penélope Cruz é sua irmã (e sucessora) Donatella.

A segunda temporada da antologia da FX vai ao ar a partir de 17 de janeiro de 2018.

Penélope Cruz pediu bênção de Donatella Versace para interpretá-la

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio