Ator de Alias Grace é acusado por quatro atrizes de assédio e abuso sexual

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator canadense e diretor Albert Schultz, da minissérie da Netflix Alias Grace, está sendo acusado por quatro mulheres por abuso e assédio sexual, enquanto trabalharam no teatro de Schultz, em Toronto.

As quatro mulheres são as atrizes Kristin Booth, de Orphan Black, Diana Bentley, de Frontier, Hannah Miller, de Dark Matter e Patricia Fagan, de Murdoch Mysteries. As atrizes alegam que Schultz a assediaram em um totla de 30 vezes separadamente, em um período de 13 anos, enquanto trabalharam na companhia de teatro de Albert.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A advogada delas, Alexi Wood, contou ao site The Hollywood Reporter, que: “Mr. Schultz abusou de seu poder por anos. Minhas clientes tentaram dizer isso a ele e à companhia Soulpepper Theather. Seus corajosos processos é o primeiro passo contra essa atitude totalmente errônea”.

Wood confirmou que as quatro mulheres prestaram queixas e processos legislativos na Corte Superior de Ontario, e farão uma coletiva de imprensa na manhã de quinta-feira (04), em Toronto. “As atrizes alegam que enquanto estavam em contato com Soulpepper, foram abusadas sexualmente e assediadas pelo seu diretor artístico, Mr. Schultz, e a companhia não fez nada para protegê-las”, segue assim um comunicado feito pela advogada.

Ambas alegam que os assédios foram através de beijos indesejados, abraços e toques praticados por Schultz, enquanto trabalharam em sua companhia de teatro, incluindo a prática de cenas íntimas em peças. Além de Alias Grace, Albert também esteve na série da BBC America, Copper, além de ser produtor executivo da série Kim’s Convenience.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio