Netflix é acusada de “glorificar prostituição infantil” em nova série

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Centro Nacional contra Exploração Sexual (NCOSE, na sigla em inglês) dos EUA está acusando a Netflix de “glamourizar a prostituição infantil” graças a um novo projeto de série encomendado pelo serviço de streaming.

Intitulada Baby, a série produzida pela firma italiana Fabula Pictures exploraria o escândalo conhecido na Itália como Baby Squillo, onde o marido de uma neta do ex-ditador Benito Mussolini foi apontado como cliente de um bordel que empregava “prostitutas infantis”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mauro Florani foi um dos 20 clientes de uma rede de casas de prostituição localizadas no distrito de Parioli, em Roma (Itália), a serem nomeados no escândalo.

Mute | Ficção do diretor de Warcraft chega em fevereiro na Netflix

Lisa Thompson, presidente do NCOSE, enviou uma carta para a Netflix pedindo pelo cancelamento imediato do projeto. “A Netflix recentemente demitiu Kevin Spacey, e agora vai produzir uma série que glorifica o tráfico sexual de menores para criar ‘entretenimento ousado’”, diz ela ao Deadline.

“Não existem prostitutas infantis – existem apenas crianças abusadas sexualmente, exploradas e estupradas. Se os executivos da Netflix realmente se importam com o movimento contra a exploração sexual, eles cancelarão esse projeto”, intima ainda.

 

A Netflix não comentou sobre o caso por enquanto.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio