De acordo com novos documentos legais obtidos pelo TMZ, o cineasta que está processando os criadores de Stranger Things por supostamente roubar seu conceito para o programa, tirou suas demandas no processo contra a Netflix e a série, uma decisão tomada após receber ameaças de fãs descontentes.

No mês passado, foi relatado que os irmãos Duffer estavam sendo processados ​​pelo cineasta Charlie Kessler por supostamente roubar a ideia de Stranger Things de um relato que ele compartilhou com base em seu curta intitulado Montauk, embora os irmãos tenham fornecido e-mails provando que começaram a desenvolver o série anos antes da suposta reunião. Agora, Kessler alterou o processo para excluir demandas para que a série seja retirada da Netflix, afirmando agora que ele quer apenas “danos monetários pelo valor de sua ideia usada”.

Kessler não forneceu detalhes sobre as ameaças que recebeu dos fãs que motivaram essa decisão.


Stranger Things segue para a sua terceira temporada, e as primeiras fotos do set revelaram uma Millie Bobby Brown com um visual bem curioso – veja aqui.

Stranger Things será nova atração de parque temático da Universal

Recentemente, os criadores de Stranger Things, Matt e Ross Duffer, foram nomeados junto com a Netflix em um processo levantado pelo produtor Charlie Kessler, que acusa a série de plagiar seu curta metragem Montauk (2012) – veja detalhes.

Outra polêmica surgiu com o aumento de salário dado aos atores, que fará com que Brown ganhe bem mais do que seus companheiros infantis.

Entre as novidades no elenco da 3ª temporada, destaque para um astro de A Princesa Prometida, clássico dos anos 1980; e para a atriz Maya Thurman-Hawke, filha do ex-casal de astros Uma Thurman e Ethan Hawke.

A estreia ficou só para 2019.