Antes de ser uma bem-sucedida plataforma de streaming, a Netflix foi uma espécie de locadora delivery, que enviava filmes em DVD pelos correios para clientes dos Estados Unidos. Em entrevista para Variety, o CEO da empresa, Ted Sarandos, revelou que há ainda assinantes para esse tipo de serviço, mesmo que não seja o foco da gigante.

“Nós nunca gastamos um minuto tentando salvar o negócio dos DVDs. E mesmo assim, a empresa segue enviando DVDs para três milhões de assinantes através do nosso envelope vermelho”, contou Sarandos.

O CEO explicou na entrevista que ele e o fundador da Netflix, Reed Hastings, sempre haviam olhado e planejado para internet. A dupla sabia qual era o futuro.


“Lá atrás, Hastings dizia que as taxas de envio continuariam subindo e a internet ia ganhar o dobro de velocidade a cada 18 meses pela metade do preço. Em algum ponto essas linhas iriam se cruzar, e iria dar um melhor custo-benefício transmitir um filme do que enviar o DVD. E foi assim que conseguimos”, revelou Sarandos na entrevista.

Netflix Brasil se pronuncia sobre polêmica de testar comerciais em séries

A Netflix começou a transmitir as primeira produções em 2007. Dali ainda levariam seis anos para plataforma de streaming iniciar a produção de conteúdos originais. O primeiro foi House of Cards, em 2013.

Cinco anos depois do lançamento de House of Cards, a Netflix coleciona apenas sucessos, seja em suas produções ou em números de assinantes. No entanto, agora está nascendo a concorrência, como o Hulu, a Amazon e até a Disney. Sarandos não vê isso como um problema.

“Televisão paga não tem um problema de distribuição – tem um problema de pacotes e de conteúdo. Nós vimos que muitos assinantes pagam por conteúdo e canais que eles não querem. Deve existir bem mais equilíbrio entre a demanda do consumidor e o preço. Com o crescimento desse serviço direto para o consumidor, a televisão se tornará cada vez melhor”, explicou o CEO da Netflix.