Em entrevista ao jornal The Daily Beast, Michael C. Hall defendeu um dos fatores mais controversos e criticados de Dexter, série exibida de 2006 a 2013: o divisivo final.

Michael C. Hall, de Dexter, quer interpretar Batman nos cinemas

“Ele parece estar em um exílio auto-imposto, ele certamente não foi em direção ao pôr-do-sol. Sua irmã morreu. Isso deixou um nó na garganta de alguns espectadores. Eu defendo a forma como a 8ª temporada acabou”, disse o ator.


“Se ele tivesse continuado matando pessoas, ele estaria bem, mas ele se casa, ele abre sua imaginação e seu coração. Ele tem uma conexão real com pessoas, e todas essas pessoas são comprometidas ou destruídas de alguma forma. Para tudo ficar arrumado depois disso não teria sido honesto”, continua.

“Ele simular sua própria morte e se isolar dele mesmo e do contexto de sua vida fez sentido pra mim”, defende Hall.

Michael C. Hall pode voltar a interpretar Dexter em futuro reboot

Durante suas 8 temporadas, Dexter alcançou sucesso entre público e crítica. Sua última temporada, embora polêmica entre os fãs, atingiu recordes de audiência no Showtime.

No Brasil, Dexter foi exibida pelo canal FX e pela RedeTV.