Como foi informado anteriormente, o crossover Elseworlds trouxe um easter egg do Lanterna Verde. Agora, o produtor dos episódios especiais, Marc Guggenheim, utilizou o Twitter para confirmar outra referência sobre o personagem e dar mais detalhes sobre ela.

Durante a segunda parte de Elseworlds, crossover de três noites do ano, o Barry Allen da Terra-90 (John Wesley Shipp) soltou uma breve referência ao Lanterna Verde, ao perguntar ao personagem de John Diggle “onde estava o anel de poder” dele, inferindo que a versão daquela terra de Diggle faz parte da Tropa dos Lanternas.

Só que, antes disso, um Lantera Verde aparece morto no mesmo mundo. O produtor confirmou que esse Lanterna Verde é o interpretado por Justin Hartley, que aparece em Smallville.


“Surpresas ainda vão aparecer. Assista até a última linha”, escreveu o produtor, antes da exibição da terceira parte de Elseworlds nos EUA (na noite de terça). Abaixo há fotos confirmando o easter egg e outras referências.

Elseworlds | Crossover revela onde está o Batman no Arrowverso; e confirma presença de um de seus vilões

“O evento de três noites começa com o doutor de Arkham, John Deegan, reescrevendo a realidade, o que faz com que o Arqueiro Verde (Stephen Amell) e Flash (Grant Gustin) troquem de vidas. Nessa nova realidade, Oliver Queen se parece com Gustin e Barry Allen com Amell, e os dois heróis são os únicos que sabem que há algo de errado em suas vidas e que tem o poder do outro”, afirma a sinopse divulgada.

O crossover também vai introduzir a heroína Batwoman, que será interpretada por Ruby Rose, e Nora Fries (Cassandra Jean Amell), a esposa do Sr. Frio. Além disso, o Superman de Tyler Hoechlin estará de volta, trazendo pela primeira vez Lois Lane, vivida por Elizabeth Tulloch, no Arrowverso.

Os episódios conjuntos de Elseworlds acontecem em The Flash, Supergirl e Arrow, com exibição para o Brasil no dia 16 de dezembro, a partir das 22h50, no Warner Channel. As três partes são transmitidas na mesma noite. Legends of Tomorrow fará uma aparição na história.

Elseworlds | Crítica – Partes 1, 2 e 3